Aspectos psicossociais da parentalidade: O papel de homens e mulheres na família nuclear

Juliane Callegaro Borsa, Maria Lucia Tiellet Nunes

Resumo


O presente artigo refere-se a uma discussão acerca dos aspectos psicossociais da parentalidade. Considerando a ênfase atribuída ao papel da mãe na família nuclear, em comparação com o papel do pai, foi realizado um levantamento de artigos sobre maternidade e paternidade em diferentes bases de dados online, com o objetivo de verificar a frequência de estudos publicados. Tal busca permitiu corroborar a expectativa de que, ainda hoje, os estudos sobre a relação mãe/filhos(as) são mais abundantes que os estudos sobre pais/filhos(as), reforçando a ideia construída socialmente de que as crianças devem ser cuidadas pelas mães, prioritariamente. Tal concepção, construída ao longo da história, acaba por diferenciar o papel de homens e mulheres na família contemporânea e, consequentemente, a maneira com que pais e mães se relacionam com suas crianças. Observou-se que, segundo a literatura específica sobre o tema, as concepções quanto ao lugar de homens e mulheres nas relações familiares são percebidas de maneira distinta, resultando em diferentes formas de relação e interação parental. Ainda hoje, a despeito das diversas mudanças ocorridas nos papéis sociais e na dinâmica das famílias contemporâneas, as mulheres ainda são vistas como as principais cuidadoras, sendo atribuído a elas o cuidado prioritário não apenas dos filhos, mas também do lar.


Palavras-chave


Parentalidade. Paternidade. Maternidade. Pai. Mãe.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat