Luteranismo e a Inquisição no Brasil Colônia (século XVI)

Rossana Britto, Fábio Py Murta de Almeida

Resumo


O tema desta pesquisa abrange a penetração e a repressão inquisitorial portuguesa à chamada heresia luterana. Antes de qualquer comentário, é necessário dizer que o vocábulo “luterano”, na Época Moderna, era utilizado pelos inquisidores como termo genérico para identificar estrangeiros protestantes. O luteranismo no Brasil Colonial apresentou várias facetas: desde o luteranismo das naus ao luteranismo da terra firme, contando, também, com o luteranismo por adesão voluntária. Assim, no artigo objetiva-se problematizar alguns casos de sujeitos designados de luteranos pela mesa inquisitorial lisboeta com suas trajetórias e penalidades.


Palavras-chave


Inquisição; Luteranismo; Brasil; Processos; Brasil Colônia.

Referências


ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO – ANTT. Inquisição de Lisboa. Lisboa, s/d.

BICALHO, M. F. A França antártica, o corso, a conquista, e a ‘peçonha luterana’. História, v. 27, n. 1, p. 29-50, 2008.

BITTENCOURT FILHO, J. Matriz religiosa brasileira: religiosidade e mudança social. Petrópolis: Vozes, 2003.

BRAGA, I. M. R. M. D. Os estrangeiros e a inquisição portuguesa: séculos XVI-XVII. Portugal: Hugin, 2002.

BRITTO, R. G. A saga de Pero do Campo Tourinho: o primeiro processo da inquisição no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2000.

BRITTO, R. G. Os pecados do Brasil: luteranos e inquisição – séculos XVI e XVII. 2010. 327 f. Tese (Doutorado em História Política) — Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

BRITTO, R. G. Luteranos nas teias da Inquisição. Pós-Escrito, n. 5, p. 7-17, jan./ ago. 2012.

DIAS, J. S. S. Correntes de sentimento religioso em Portugal: séculos XVI a XVIII. Coimbra: Editora da Universidade de Coimbra, 1960.

KOSELLECK, R. Crítica e crise: uma contribuição à patogênese do mundo burguês. Rio de Janeiro: Eduerj; Contraponto, 1999.

LINDBERG, C. As reformas na Europa. São Leopoldo: Sinodal. 2001.

NOVINSKY, A. Inquisição: prisioneiros do Brasil. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 2002.

NOVINSKY, A. Inquisição. São Paulo: Brasiliense, 2007.

NOVINSKY, A. Inquisição: prisioneiros do Brasil – séculos XVI a XIX. São Paulo: Perspectiva, 2009.

SIQUEIRA, S. A inquisição portuguesa e a sociedade colonial. São Paulo: Ática, 1978.

SOUZA, L. M. O diabo e a terra de Santa Cruz: feitiçaria e religiosidade popular no Brasil colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.

SOUZA, L. M. Inferno atlântico: demonologia e colonização – séculos XVIXVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

VAINFAS, R. Confissões da Bahia. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

VAINFAS, R. Trópico dos pecados: moral, sexualidade e inquisição no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/revistapistispraxis.06.003.ao06

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.