Psicologia religiosa, psicologia da religião/espiritualidade, ou psicologia e religião/espiritualidade?

Marta Helena de Freitas

Resumo


Considerando-se a diversidade terminológica bem como as frequentes e decorrentes polarizações que caracterizam, na contemporaneidade, o campo da psicologia que se volta para os temas da religião, religiosidade e/ou espiritualidade e, neste ensaio, nos ocupamos desta questão. Iniciamos com um breve histórico sobre os estudos da religião e da espiritualidade no âmbito da psicologia e as terminologias empregadas no decorrer de sua evolução, até chegar aos dias de hoje. Em seguida, discutimos as tendências conceituais contemporâneas e suas principais implicações para o contexto brasileiro. Elaboramos, então, com algumas proposições concretas de alternativas conceituais, para se evitar incorrer em problemas éticos e mesmo epistemológicos, especialmente para que se possa atender adequadamente aos princípios de um país oficialmente laico, mas que abriga uma grande diversidade religiosa e uma população que valoriza significativamente o religioso em suas vidas.

 


Texto completo:

PDF

Referências


ALETTI, M. A psicologia diante da religião e da espiritualidade: questões de conteúdoe de método. In: FREITAS, M. H.; PAIVA, G. J. Religiosidade e cultura contemporânea. Brasília: Universa, 2012. p. 157-190.

AMATUZZI, M. M. (Org.). Psicologia e espiritualidade. São Paulo: Paulus, 2005.

American Psychological Association - APA. Society for the Psychology of Religion and Spirituality, 2017. Disponível em:. Acesso em: 05/04/2017.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA– ANPEPP. Proposta do GT “Psicologia & Religião”. XVI Simpósio de Pesquisa e Intercâmbio Científico – Pesquisa em Psicologia: dimensões éticas e produção científica, 2016. Disponível em:

anais/25/1449517299_ARQUIVO_proposta.anpepp.2016.GTPsic.Rel.pdf>. Acesso em: 05/04/2017.

BEIT-HALLAHMI, B. Prolegomena to the psychological study of religion. Lewinsburg/London and Toronto: Bucknell University Press/Associated University Presses,1989.

BYRNES, J. F. The Psychology of Religion. New York/London: The Free Press - Macmillan / Collier Macmillan Publishers, 1984.

CARRETTE, J. O retorno a James: psicologia, religião e a amnésia da neurociência. In: FREITAS, M. H.; PAIVA, G. J. Religiosidade e cultura contemporânea. Brasília:Universa, 2012, p. 21-54. (Original publicado em 1999, na língua inglesa).

CARRETTE, J.; KING, R. $elling spirituality: the silent takeover of religion. London/New York: Routledge, Taylor & Francis Group, 2005.

COE, G. A. The psychology of religion. Chicago/Illinois: The University of Chicago Press, 1916.

COE, G. A. The spiritual life: studies in the science of religion. New York/Cincinnati: Eaton & Means/Jennings & Graham, 1900.

EDWARDS, J. Treatise concerning religious affections. 2 ed. New York: J. Parker, 1763. (Original publicado em 1746).

FREITAS, M. H. Religiosidade e Saúde: Experiências dos pacientes e percepções dos profissionais. Revista Pistis & Praxis, Curitiba, v. 6, n.1, p. 89-105, 2014.

FREITAS, M. H. Quando o silêncio transborda, “calaboca” já morreu: Religiosidade, cientificidade e formação em Psicologia. In: FREITAS, M. H.; PEREIRA, O. P. As vozes do silenciado: estudos nas fronteiras da antropologia, filosofia e psicologia. Brasília: Universa, 2007. p.187-205.

FREITAS, M. H.; PIASSON, D. L. Religião, religiosidade e espiritualidade: repercussão na mídia e formação profissional em psicologia. Esferas, v. 5, n. 8, p. 103- 112, fev. 2016. http://dx.doi.org/10.19174/esf.v1i8.7909.

FREITAS, M. H.; VILELA, P. R. Leitura Fenomenológica da religiosidade: implicações para o psicodiagnóstico e para a práxis clínica psicológica. Revista da Abordagem Gestáltica – Phenomenological Studies, v. 23, n. 1, p. 95-107, 2017.

INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR PSYCHOLOGY OF RELIGION. History of the International Association for the Psychology of Religion (IAPR), 2017. Disponível em . Acesso em: 05/04/2017.

JAMES, W. As variedades da experiência religiosa. 1 ed. bras. São Paulo: Cultrix, 1995. (Original publicado em 1902).

KOENIG, H. G. Terms of the debate. Medicine, Religion, and Health: Where Science and Spirituality Meet. West Conshohocken, Pennsylvania: Templeton Foundation Press, 2006. p. 9-20.

LEUBA, J. H. La psychologie religieuse. Revue de psychologie religieuse. L’année psychologique, v. 11, p. 482-493, 1904. 10.3406/psy.1904. 3686.

PAIVA, G. J. Espiritualidade e qualidade de vida: pesquisas em psicologia. In: TEIXEIRA, E. F. B.; MÜLLER, M. C.; SILVA, J. D. T. Espiritualidade e Qualidade de Vida. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004. p. 119-130.

PAIVA, G. J. Psicologia da religião, psicologia da espiritualidade: oscilações conceituais de uma (?) disciplina. In: AMATUZZI, M. M. (Ed.). Psicologia e espiritualidade. São Paulo (Brasil): Paulus, 2005. p. 31-47.

PALOUTZIAN, R. F. Psychology of, and, for, in and against religion (and spirituality?): Pragmatism works. Psychology of Religion Newsletter, American Psychological Association Division 36, v. 28, n. 2, p. 17-19, 2003.

PINTO, E. B. Espiritualidade e religiosidade: articulações. Revista de Estudos da Religião, n. 4, p. 68-83, dez. 2009.

ROSA, M. Psicologia da Religião. 3 ed. Rio de Janeiro: Junta de Educação Religiosa e Publicações da Convenção Batista Brasileira, 1992. (1a edição publicada em 1971).

STARBUCK, E. D. The psychology of religion: an empirical study of the growth of religious consciousness. 3 ed. London/New York: The Walter Scott Publishing Co; Charles Scribner’s Sons, 1911. (Original publicado em 1899).

VALLE, E. Psicologia e experiência religiosa. São Paulo: Loyola, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/2175-1838.09.001.DS04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.