Religião, revelação, textos sagrados

Luiz José Dietrich, Cássio Murilo Dias da Silva

Resumo


Este artigo discute alguns aspectos de dois elementos comuns às mais diversas religiões: o conceito de revelação e a aceitação de um corpo literário normativo, isto é, um cânon. Os processos que levam as religiões a se constituírem são semelhantes em todas as culturas. Uma abordagem crítica e comparativa demonstra a falácia do discurso que defende um modelo religioso como o único verdadeiro. Paralelamente, uma nova concepção de revelação abre caminhos para o diálogo e o respeito. Pontos relevantes do processo de redação do texto bíblico e de definição dos cânones judaico e cristão servem de exemplo para rebater o uso da Bíblia como fundamento de práticas de truculência, intolerância e desprezo pelo que não é “cristão”.


Palavras-chave


Revelação. Escritura. Judaísmo. Cristianismo.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIRRE, R. La mesa compartida. Estudios del NT desde las ciencias sociales. Maliaño, Catábria: Sal Terrae, 1994.

ARMSTRONG, K. Fields of Blood. Religion and the history of violence. New York/ Toronto: Alfred A. Knopf, 2014.

BEUMER, J. La inspiración de la Sagrada Escritura. In: SCHMAUS, M.; GRILLMEIER, A.; SCHEFFCZYK, L. História de los dogmas. Tomo I, caderno 3B, Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos, 1973, p. 1-78.

BOHN GASS, I. Uma introdução à Bíblia. Vol. 3: Formação da Monarquia de Davi e Salomão. São Leopoldo/São Paulo: CEBI/Paulus, 2003, p. 2-10.

CAMARGO, C. P. F. de; MUNIZ DE SOUZA, B.; PIERUCCI, A. F. de O. As grandes religiões. Textos sacros. São Paulo: Abril Cultural, 1973.

CAMPHAUSEN, R. C. The divine library. A comprehensive reference guide to the sacred texts and spiritual literature of the world. Rochester, Vermont: Inner Traditions International, 1992.

CARR, D. M. The formation of the Hebrew Bible. A new reconstruction. New York: Oxford University Press, 2011.

COMBLIN, José. Quais os desafios dos temas teológicos atuais? São Paulo: Paulus, 2005.

DIETRICH, L. J. A descolonização da “Palavra de Deus”: o desafio primeiro e urgente para uma teologia decolonial. Revista de Interpretação Bíblica Latinoamericana, vol. 82, n. 2, p. 61-84, 2020.

EDELMAN, D. V. Deuteronomy-Kings as emerging authoritative books. Aconversation. Atlanta: Society of Biblical Literature, 2014.

ELIADE, M. Essential sacred writings from around the world. New York: HarperOne, 1963. (Tradução brasileira: O conhecimento sagrado de todas as eras. São Paulo: Mercuryo, 1995.)

FINKELSTEIN, I.; MAZAR, A. The quest for the historical Israel. Debating archaeology and the history of early Israel. Atalanta: Society of Biblical Literature, 2007.

FINKELSTEIN, I.; SILBERMAN, N. A. A Bíblia desenterrada. A nova visão arqueológica do Antigo Israel e das origens do seu texto sagrado. Petrópolis: Vozes, 2018.

FORNET-BETANCOURT, R. Religião e interculturalidade. São Leopoldo: Editora Sinodal, 2007.

FÜRST, A. (org.). Paz na terra? As religiões universais entre a renúncia e a disposição à violência. Aparecida: Ideias & Letras, 2009, p.15-63.

GEISLER, N. (org.). Inerrância da Bíblia. Uma sólida defesa da infalibilidade das Escrituras. São Paulo: Vida, 2012, 2ª reimpressão. (Original de 1980).

GONZAGA, W. Compêndio do Cânon Bíblico. Petrópolis: Vozes, 2019.

HOLM, J.; BOWKER, J. (Coords.). Textos sagrados. Mira-Sintra, Mem Martins: Publicações Europa América, 1998.

LIM, T. H. An indicative definition of the canon. In: LIM, T. H. When texts are canonized. Providence: Brown University, 2017, p. 1-24.

MARIANNO, L. D. Profetisas en el Antiguo Israel: entre un consejo y otro interfiriendo en el curso de la historia. RIBLA – Revista Latinoamericana de Interpretación Bíblica. Quito, vol. 60, n. 2, p. 131-138, 2008.

MARKSCHIES, C. Christian theology and its institucions in the early roman empire. Prolegomena to a history of early Christian theology. Waco, Texas: Baylor University Press, 2015.

PACE, E.; STEFANI, P. Fundamentalismo religioso contemporâneo. Raízes Islâmicas, Protestantes, Hebraicas, Induístas. Leitura fundamentalista da Bíblia. São Paulo: Paulus, 2002.

PASCUAL,L. N. Revelação e Inspiração. Acutalidade Bíblica, Fátima, n.9, p. 33-40, 2005.

PRIOTTO, M. Introdução geral às Escrituras. Petrópolis: Vozes, 2019.

REIMER, Haroldo. Inefável e sem forma. Estudos sobre o monoteísmo hebraico. São Leopoldo: Oikos; Goiânia: UCG, 2009, p. 21-52.

RIBEIRO JÚNIOR, J. Pequena história das heresias. Campinas: Papirus, 1989.

RICHARD, Pablo. Memoria del “Movimiento Histórico de Jesús”, desde sus orígenes (años 30) hasta la crisis del Sacro Imperio Romano Cristiano (siglos IV y V), San José de Costa Rica: DEI, 2009.

SATLOW, M. L. Bad prophecies: canon and the case of the Book of Daniel. In: LIM, T. H. When texts are canonized. Providence: Brown University, 2017, p. 63-81.

SCHMID, K. História da literatura do Antigo Testamento. Uma introdução. São Paulo: Loyola, 2013.

SCHMIDT, B. B. Contextualizing Israel´s sacred writings. Ancient literacy, orality, and literary production. Atalanta: Society of Biblical Literature, 2015.

SCHNIEDEWIND, W. M. Como a Bíblia tornou-se um livro. A textualização do antigo Israel. São Paulo: Loyola, 2011.

SMITH, M. S. The Early History of God: Yahweh and the Other Deities in Ancient Israel. Michigan: Eerdmans, 1990.

SMITH, M. S. The Origins of Biblical Monotheism: Israel's Polytheistic Background and the Ugaritic Texts. New York: Oxford University Press, 2001.

WELLS, S. Drunk with Blood. God´s killings in the Bible, Moscow, Idaho: SAB Books, 2010.

WRIGHT, J. E.; ELLIOT, M.; FLESHER, P. V. M. Israel in and out of Egipt. In: EBELING, J. WRIGHT, J. E.; ELLIOT, M.; FLESHER, P. V. M. The Old Testament in archaeology and history. Wacco, Texas: Baylor University Press, 2017, p. 241-272.

ZENGER, Erich. Violência em nome de Deus. O preço necessário do monoteísmo bíblico? In: FÜRST, A. (org.). Paz na terra? As religiões universais entre a renúncia e a disposição à violência. Aparecida: Ideias & Letras, 2009, p.15-63.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/2175-1838.13.01.AO03

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.