Aspectos do Ensino Religioso na Base Nacional Comum Curricular: os fundamentos para educação de qualidade

Marta Braga Façanha, Valdir Stephanini

Resumo


O Ensino Religioso (ER) está contido na Constituição Federal de 1988 como componente facultativa curricular para ser realizada em horário normal nas escolas de Ensino Fundamental e parte integrante da formação básica do cidadão, que prioriza e valoriza a diversidade cultural e veda qualquer forma de proselitismo. A proposta deste artigo consiste-se em debater o dilema epistemológico decorrente da inclusão da componente ER no currículo das escolas públicas de Ensino Fundamental, inserindo esse debate acerca da liberdade de religião e a separação entre Igreja e Estado, à luz da legislação brasileira. A pesquisa ocorreu com uso do método de pesquisa bibliográfica, de natureza qualitativa e abordagem descritiva. Os resultados analisaram os aspectos do ER na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que postulam sobre a componente garantir a educação de qualidade, e também enfatizou-se o que preconiza sobre os aspectos filosóficos, pedagógicos e socioculturais do ER, salientando-se que nenhuma tradição religiosa é “total” e não existe um status de favoritismo de religiões. Concluiu-se que as estratégias descritas na BNCC orientam os professores de ER a estabelecer vínculo dialogal e harmonioso e garantir uma reciprocidade no tratamento da diversidade em suas aulas, pois ao respeitar a diversidade religiosa pode garantir que o proselitismo religioso não ocorra e, assim, garante-se também que o processo ensino aprendizagem ocorra de forma satisfatória, independente da imparcialidade no processo avaliativo dos conhecimentos construidos em sala de aula.


Palavras-chave


Ensino Religioso. Base Nacional Comum Curricular. Epistemologia

Texto completo:

PDF

Referências


ARAGÃO, G.; SOUZA, M. Transdisciplinaridade, o campo das ciências da religião e sua aplicação ao ensino religioso. Estudos Teológicos, v. 58, n. 1, p. 42-56, 2018.

BRASIL. Constituição Política do Império do Brasil. Rio de Janeiro: Diário Oficial, 2002 [1824]. p. 1345.

BRASIL. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro: Diário Oficial, 2002 [1891]. p. 1485.

BRASIL. Decreto nº 19.941, de 30 de abril de 1931. Dispõe sobre a instrução religiosa nos cursos primário, secundário e normal. 1931.

BRASIL. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil. Decretada e promulgada em 16 de julho de 1934. 1934. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/consti/1930-1939/constituicao-1934-16-julho-1934-365196-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 10 dez. 2018.

BRASIL. Constituição dos Estados Unidos do Brasil. Decretada pela Assembléia Constituinte em 19 de outubro de 1946. 1946.

BRASIL. Lei n.º 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 1961.

BRASIL. Constituição do Brasil de 1967. Decretada e promulgada pelo Congresso Nacional em 24 de janeiro de 1967. 1967.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). 2. vers., abr. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Vers. aprovada pelo CNE, nov. 2017.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal - Centro Gráfico, 1988a.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Decretada e promulgada pelo Congresso Nacional em 5 de outubro de 1988b.

BRASIL. Lei Federal nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, Seção 1, 23 dez. 1996, p. 27833.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 26 jun. 2014.

BRASIL. Lei nº 9.475 de 22 de julho de 1997. Dá nova redação ao art. 33 da Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, 2018.

CAVALIERE, A. M. O mal-estar do ensino religioso nas escolas públicas. Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 131, p. 303-332, 2007.

CONSELHO NACIONAL DE SECRETÁRIOS DE EDUCAÇÃO (CONSED). Fórum Nacional Permanente do Ensino Religioso promove o IX Conere. Portal CONSED, Brasília, 10 jul. 2017. Disponível em: http://www.consed.org.br/central-de-conteudos/forum-nacional-permanente-do-ensino-religioso-promove-o-ix-conere. Acesso em: 10 dez. 2018.

COSTELLA, D.; OLIVEIRA, E. T. Epistemologia do Ensino Religioso. Disponível em: https://docplayer.com.br/9378386-Epistemologia-do-ensino-religioso.html. Acesso em: 2 de junho de 2021.

CUNHA, C. B.; BARBOSA, C. O ensino religioso na escola pública e suas implicações em desenvolver o senso de respeito e tolerância dos alunos em relação aos outros e a si próprios. Sacrilegens, Juiz de Fora, v. 8, n. 1, p. 164-181, 2011.

CURY, C. R. J. Ensino religioso e escola pública: o curso histórico de uma polêmica entre Igreja e Estado no Brasil. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 17, p. 20-37, 1993.

CURY, C. R. J. Ensino religioso na escola pública: o retorno de uma polêmica recorrente. Revista Brasileira de Educação, v. 1, n. 27, p. 183-213, 2004.

FÁVERO, O. (Org.). A educação nas constituintes brasileiras: 1823-1988. Campinas: Autores Associados, 1996.

FÓRUM NACIONAL PERMANENTE DO ENSINO RELIGIOSO (FONAPER). Parâmetros curriculares nacionais do Ensino Religioso. Brasília: Ministério da Educação, 2006. Disponível em: http://www.consed.org.br/central-de-conteudos/forum-nacional-permanente-do-ensino-religioso-promove-o-ix-conere. Acesso em: 10 dez. 2018.

HORTA, J. S. B. O ensino religioso escolar na Itália fascista e no Brasil (1930-1945). Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 1, n. 17, p. 64-78, 1993.

JAPIASSÚ, H. O sonho transdisciplinar e as razões da filosofia. Rio de Janeiro: Imago, 2006.

JUNQUEIRA, S. R. A. O processo de escolarização do ensino religioso no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2002. p.49.

KLEIN, R.; WACHS, M. C.; FUCHS, H. L. (Orgs.). O ensino religioso e o pastorado escolar: novas perspectivas – princípios includentes. São Leopoldo: Instituto Ecumênico de Pós-Graduação/ IEPG, 2001. p. 34-35.

MARTINS, N. F. DE S. O ensino religioso do estado do Espírito Santo: uma análise curricular. PLURA: Revista de Estudos de Religião, v. 11, n. 1, p. 99-127, 30 dez. 2020.

MARTINS FILHO, I. G. S. Manual esquemático de filosofia. 3. ed. São Paulo: LTR, 2006. p. 7.

MELLO, A. P. B. de; SUDBRACK, E. M. Caminhos da educação infantil: da constituição de 1988 até a BNCC. Revista Internacional de Educação Superior, v. 5, n. 1, p. 1-21, 2019.

MIRANDA, A. M. de J. O. et al. O ensino religioso no estado laico brasileiro: perfilação e formação docente. Tear Online, v. 9, n. 1, p. 132-143, 2020.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Trad. Eloá Jacobina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

PASSOS, J. D. Ensino Religioso: construção de uma proposta. São Paulo: Paulinas, 2007.

SENA, L. (Org.). Ensino religioso e formação docente: ciências da religião e ensino religioso em diálogo. São Paulo: Paulinas, 2006.

SILVA, E. M. da. Religião diversidade e valores culturais: conceitos teóricos e a educação para a cidadania. REVER (Revista de Estudos da Religião), v. 1, n. 2, p. 1-14, 2004.

ULRICH, C. B.; GONÇALVES, J. M. Estranho caso do ensino religioso: Contradições legais e questões epistemológicas. Estudos Teológicos, v. 58 n. 1, p. 14-27, 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/2175-1838.13.01.DS04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.