Elisabeth Schüssler Fiorenza: uma hermenêutica feminista crítica

Fernanda Henriques

Resumo


O texto incide sobre o pensamento de Elisabeth Schüssler Fiorenza e o seu caráter inovador e transformador, querendo mostrar a profunda ruptura no espaço das teologias contemporâneas que a sua obra representa. Nesse sentido, explorará alguns dos caminhos abertos pelo pensamento de Fiorenza, dando particular atenção (1) às questões da importância da construção de uma memória crítica para o processo de libertação da imagem das mulheres e do feminino, no campo do cristianismo, (2) ao papel decisivo da linguagem nesse processo de libertação e (3) aos traços fundamentais da sua proposta de salvaguardar a igualdade entre mulheres e homens no seio da religião.


Palavras-chave


Teologia feminista critica da libertação; Hermenêutica da suspeita; Memória crítica; Discipulado de iguais.

Texto completo:

PDF

Referências


CLIFFORD, A. M. Introducing Feminist Theology. New York: Orbis, 2001.

FRICKER, M. Epistemic Injustice: Power and the Ethics of Knowing. New York: Oxford University Press, 2007.

GEBARA, I. Vulnerabilidade, Justiça e Feminismos. São Bernardo do Campo: Nhanduti Editora, 2010.

HENRIQUES, F. Filosofia e Literatura: um percurso Hermenêutico com Paul Ricoeur. Porto: Porto Editora, 2005.

HENRIQUES, F. O conflito de interpretações como instrumento epistemológico determinante dos Women’s Studies. Critical Hermeneutics, special 2, p. 109-133, 2019.

NANCY, J.-L. Le partage des voix. Paris: Galilée, 1982.

M. B. An Interview with Elisabeth Schüssler Fiorenza “Critical Reflections on Philosophy and Theology”. Journal of Philosophy and Scripture, v. 1, n. 2, p. 27-31, 2004.

NUNES, C. van; DEVENTER, H. J. M. Feminist interpretation in the context of reformational theology: a consideration. In die Skriflig, v. 43, n. 4, p. 737-760, 2009.

RIBEIRO, C. (org.). Rasgando o verbo: a crítica feminista à teologia da libertação. São Paulo: Fonte Editorial, 2016.

RICOEUR, P. De l’interprétation : Essai sur Freud. Paris: Éditions du Seuil, 1965.

RICOEUR, P. La Mémoire, L’histoire, L’oubli. Paris: Éditions du Seuil, 2000.

SCHÜSSLER-FIORENZA, E. The Politics of Otherness; Biblical Interpretation as a Critical Praxis for Liberation. In: ELLIS, M. H.; MADURO, O. (eds.). The Future of Liberation Theology. Maryknoll: Orbis, 1989. p. 311-325.

SCHÜSSLER-FIORENZA, E. Deus (G*d)* trabalha em meio a nós. De uma Política de Identidade para uma Política de Luta. Revista de Estudos da Religião, n. 1, p. 56-77, 2002. SCHÜSSLER-FIORENZA, E. Discipulado de Iguais: uma ekklesia-logia feminista crítica da libertação. Petrópolis: Vozes, 1995.

SCHÜSSLER-FIORENZA, E. En Mémoire d’Elle : Essai de reconstruction des origins chrétiennes selon la théologie féministe. Paris: Éditions du Cerf, 1986.

SCHÜSSLER-FIORENZA, E. Cristología Feminista Crítica. Jesús, Hijo de Miriam, Profeta de la Sabedoria. Madrid: Trotta Editores, 2000.

SCHÜSSLER-FIORENZA, E. Transforming Vision: Explorations In Feminist. Minneapolis: Fortress Press, 2011.

SCHÜSSLER-FIORENZA, E. Changing Horizons. Minneapolis: Fortress Press, 2013.

SCHÜSSLER-FIORENZA, E. Empowering Memory and Movement: Thinking and Working Across Borders. Minneapolis: Fortress Press, 2014.

SEGOVIA, F. F. (ed.). Toward a New Heaven and a New Earth: Essays in Honor of Elisabeth Schüssler Fiorenza. New York: Orbis, 2003.

TAMEZ, E. A Bíblia dos oprimidos: a opressão na teologia bíblica. São Paulo: Paulinas, 1980.

TOLDY, T. A violência e o poder da(s) palavra(s): A religião cristã e as mulheres. Revista Crítica de Ciências Sociais, v. 89, p. 171-183, 2010.

VÉLEZ CARO, O. C. Balance y futuro de la teología feminista latino-americana. Revista Alternativas. Revista de Análisis y reflexión teológica, n. 44, p. 89-110, 2012.

WAITHE, M. E. (ed.). A History of Women Philosophers. London: Kluwer Academic Publishers, 1987.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/2175-1838.13.espec.DS16

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.