A oração desde o ser: ontologia da vida orante

Jacir Silvio Sanson Junior, Marcelo Martins Barreira

Resumo


Para ser concebida de maneira integral, é preciso endereçar uma crítica a regimes disciplinares que involucram a vida de oração a estratos de controle exteriores. Explorando uma intersecção entre Teologia Espiritual e Ontologia, correlacionamos as formas de oração, discriminadas por antigas fontes cristãs e o Catecismo da Igreja Católica, com
as propriedades transcendentais do ser, segundo Regis Jolivet. Abre-se a perspectiva de uma ligação mais essencial da oração com o suposto natural das faculdades humanas, já não mais com um agir ético heterônomo ou uma deontologia dos costumes.

Palavras-chave


Ser; Transcendentais; Formas de oração.

Texto completo:

PDF

Referências


AGOSTINHO DE HIPONA. A ordem. Tradução de Agustinho Belmonte. São Paulo: Paulus, 2008. (Patrística, 24).

AGOSTINHO DE HIPONA. A vida feliz. Tradução de Nair de Assis Oliveira. São Paulo: Paulus, 1998. (Patrística, 11).

AGOSTINHO DE HIPONA. Carta 130 a Proba. Tradução de Nair de Assis Oliveira. São Paulo: Paulinas, 1987. (Espiritualidade).

AGOSTINHO DE HIPONA. Comentário da Primeira Epístola de São João. Tradução de Nair de Assis Oliveira. São Paulo: Paulinas, 1989. (Espiritualidade).

AGOSTINHO DE HIPONA. Confissões. Tradução de Maria Luiza Jardim

Amarante. São Paulo: Paulus, 1997. (Patrística, 10).

BÍBLIA. Grego-Português. Novo Testamento interlinear grego-português. Tradução de Vilson Scholz. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 2004.

BÍBLIA. Português. Bíblia do peregrino. SCHÖKEL, L. A. (Coord.). 3. ed. Tradução de Ivo Storniolo e José Bortolini. São Paulo: Paulus, 2011.

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA [CAT]. 9ª ed. Petrópolis: Vozes; São Paulo: Loyola; Paulinas; Ave-Maria; Paulus, 1999.

CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ. Instrução sobre as orações para alcançar de Deus a cura. São Paulo: Paulinas, 2000.

FARIA, E. (Org.). Dicionário escolar latino-português. 3. ed. Rio de Janeiro: Companhia Nacional de Material de Ensino (C.N.M.E.), 1962.

FORTE, B. A porta da beleza: por uma estética teológica. São Paulo: Idéias & Letras, 2006.

JOÃO PAULO II. Instrução sobre a formação litúrgica nos seminários. 2ª ed. São Paulo: Paulinas, 1981. (A voz do Papa, 95).

JOLIVET, R. Curso de Filosofia. 14. ed. Rio de Janeiro: Livraria Agir, 1982.

MOURA, G. de. Dicionário do Novo Testamento em português-grego-latim. Vitória: EDUFES, 1998.

SCHÜLER, A. Dicionário enciclopédico de Teologia. Canoas: ULBRA, 2002.

STACCONE, G. Filosofia da Religião: o pensamento do homem ocidental e o problema de Deus. Petrópolis: Vozes, 1989.

TANQUEREY, A. Compêndio de Teologia Ascética e Mística. 5. ed. Porto, Portugal: Apostolado da Imprensa, 1955 [1928].




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/revistapistispraxis.08.002.ao01

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.