O acolhimento do imigrante como marco de solidariedade no contexto de graduação em Saúde

Luiz Claudio Sobrinho do Nascimento, Cesar Kuzma, Maria Cecília Da Lozzo Garbelini, Maria Rosa Machado Prado, Leide da Conceição Sanches

Resumo


A imigração é um fenômeno que traz desafios, tanto para os imigrantes quanto para as sociedades que os acolhem. Este estudo teve como objetivo perceber como o acolhimento dos imigrantes é trabalhado nos cursos de graduação em saúde, pela perspectiva dos discentes. Trata-se de um estudo exploratório descritivo com abordagem qualitativa, no qual foram realizadas entrevistas semiestruturadas com vinte e oito (28) discentes de três (3) cursos de graduação em saúde de duas Instituições de Ensino Superior (IES) da cidade de Curitiba/PR. As informações foram analisadas conforme análise de conteúdo de Bardin, por meio da qual se organizou e categorizou as informações contidas no conteúdo das entrevistas, as quais foram gravadas. Os resultados apontam que, embora não se trabalhe pontualmente com a questão do imigrante em sala de aula, a maioria (90,3%) dos discentes tiveram contato com estes, inevitavelmente, em atividades práticas, seja por meio de atividades de estágio ou internato. Isso deflagra que nem sempre a teoria e a prática estão alinhadas, e, independentemente de cursos de graduação abordarem ou não a questão, os profissionais oriundos destes cursos terão que lidar com esta realidade em algum momento da vida, já que o fluxo migratório faz parte da realidade. As informações obtidas neste estudo permitiram averiguar junto aos discentes a importância de estar discutindo o tema dos imigrantes nas universidades, para o aprimoramento das práticas de acolhimento ao imigrante. Isto proporcionará aos discentes prestar um atendimento humanizado e solidário e um cuidado mais assertivo, além de formar egressos com uma visão humanística em relação aos imigrantes, dentro do contexto de um mundo cada vez mais globalizado.

Palavras-chave


Palavras-chave: Crise migratória. Solidariedade. Imigrantes.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, N. M.; MARTINS, L. L.; SOUZA, L. M. M.; NICOLAO, I. A.; SOUZA, N. M. Acolhimento de imigrantes haitianos via integração ensino-serviço-pesquisa na atenção primária à saúde: relato de caso. Rev. bras. med. fam. Comunidade, Rio de Janeiro, v. 12, n. 39, p. 1-9, 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2018.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2016.

BAUMAN, Z. Tempos líquidos. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2007.

BAUMAN, Z. Estranhos à nossa porta. Trad. Carlos Alberto Medeiros. 1ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2017.

BRASIL. Constituição: República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em: Acesso em: 29 jun. 2018.

BRASIL. Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS. Atenção Primária e Promoção da Saúde. Coleção Progestores: para entender a gestão do SUS. Brasília, 2007. p. 8-232. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2018.

BRASIL. Lei nº 13.445, de 24 de maio de 2017. Institui a Lei de Migração. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 25 maio 2017. Seção 1, p. 1. Disponível em: . Acesso em: 23 maio 2018.

CONARE. Conselho Nacional de Refugiados. Dados sobre refúgio no Brasil [Internet]. Brasília: CONARE, 2016. Disponível em: Acesso em: 23 maio 2018.

COSTA, R.; LOCKS, M. O. H.; GIRONDI, J. B. R. Pesquisa exploratória descritiva In: LACERDA, M. R.; COSTENARO, R. G. S. Metodologias da pesquisa para a enfermagem e saúde, Porto Alegre, Moriá, p. 273-289, 2015.

FRANCISCO. Santa missa pelas vítimas dos naufrágios. Viagem à Lampedusa (Itália). 2013. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2019.

FRANCISCO. Santa missa para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado. 2019. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2019.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia cientifica. São Paulo: Atlas, 1991.

OLIVEIRA, A. T. R. de. Nova lei brasileira de migração: avanços, desafios e ameaças. Rev. bras. estud. popul., São Paulo, v. 34, n. 1, p. 171-179, abr. 2017. Disponível em: Acesso em: 27 maio 2018.

OLIVEIRA, P. de S. O processo de socialização e de solidariedade. Psicol. USP, São Paulo, v. 24, n. 2, p. 303-326, Aug. 2013.

Doi http://dx.doi.org/10.1590/S0103-65642013000200007

PRADO, L. C. A. Travessia clandestina: Itália bate recorde de imigração pelo mar. In: Folha de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2019.

SIMMEL, G. O estrangeiro. In: MORAES FILHO. E. (Org.). Sociologia. São Paulo: Ática, 1983.

TOMÁS, M. I. Pluralidade Religiosa, Fluxos Migratórios e Cidadania. In: Os desafios da contemporaneidade ao cristianismo. Revista Lusófona de Ciência Das Religiões, n. 20, p. 459-481, 2017.

UN. United Nations. United Nations High Commissioner for Refugees. Global Trends Report: forced displacement in 2017. Geneva, 2018. Disponível em: Acesso em : 24 set. 2018.

UN. United Nations High Commissioner for Refugees. Global Trends Report: forced displacement in 2018. Geneva, 2019. Disponível em: Acesso em : 20 jun. 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/2175-1838.12.001.DS05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.