Práxis místico-ética em Simone Weil: a compaixão pelo outro sentida à flor da pele

Andreia Cristina Serrato, Waldir Souza

Resumo


A jovem francesa Simone Weil foi filósofa, professora, militante e viveu em uma época histórica de muitos desafios: um período entre guerras, entre a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais. Intelectual e totalmente solidária ao povo marginalizado, sentia-se responsável pelo outro, o que a fazia sair ao encontro daquele que necessitava de apoio e acolhida. Uma existência marcada pela filosofia da ação. Nosso objetivo encontra-se em apresentar, na rápida existência de Simone Weil, uma unidade entre práxis, ética e mística. Aquilo que pensou e refletiu eticamente em favor dos marginalizados tornou-se ação, ou seja, concretizou em sua existência. Utilizaremos a expressão práxis místico-ética para demonstrar como em sua existência deixou-se afectar totalmente pelo outro marginalizado. Para tal objetivo, apresentaremos o que se entende pelos termos práxis, mística e ética a partir do pensamento da autora e confrontaremos com sua existência marcada pela práxis místico-ética. Verificaremos assim uma existência marcada pela unidade práxis místico-ética, que a conduz a uma resposta ética na configuração ao corpo de Cristo. Percebemos que através de sua experiência mística e uma vida dedicada ao outro, ela pode nos inspirar para configurar-nos ao Cristo.


Palavras-chave


práxis, mística, ética.

Texto completo:

PDF

Referências


ANCILLI, E; PONTIFÍCIO INSTITUTO DE ESPIRITUALIDADE TERESIANUM (Orgs.). Dicionário de espiritualidade. São Paulo: Paulinas e Loyola, 2012. v.1. BEA, E. Simone Weil: la consciência del dolor y de la beleza. Madrid: Trotta, 2010.

BINGEMER, M. C. Deus inocente e a mortalidade humana: cruz e salvação em

Simone Weil. Síntese Nova Fase, v. 21, n. 64, p. 113-124, jan./mar. 1994.

BINGEMER, M. C. Simone Weil: a vida em busca da verdade. São Leopoldo (on-line), 2009. Disponível em: . Acesso em: 05 nov. 2017.

BINGEMER, M. C. Simone Weil: una mística en los limites. Buenos Aires: Ciudad Nueva, 2011.

BINGEMER, M. C. O Mistério e o mundo. Paixão por Deus em tempos de descrença. Rio de Janeiro: Rocco, 2013.

BINGEMER, M. C. Francisco de Assis e Simone Weil: humanismo cristão e mística da pobreza, Revista Eclesiástica Brasileira, n. 297, p. 105-130, jan./mar. 2015.

BINGEMER, M. C.; PUENTE, F. R. Simone Weil e a filosofia. São Paulo, Rio de Janeiro: PUC RJ e Loyola, 2011.

CERFAUX, L. L’itineraire spirituel de Saint Paul. Paris: Cerf, 1968.

COLLANGE J.-F., L’Epître de saint Paul aux Philippiens. Paris: Delachaux et Niestlé, 1980.

DE FIORES, S.; GOFFI, T. Dicionário de espiritualidade. 2. ed. São Paulo: Paulus, 1993. p. 770.

DE NICOLA, G. P.; DANESE, A. Abismos e ápices: percursos espirituais e místicos em Simone Weil. São Paulo: Loyola, 2003.

ECKHART, M. Sermons-traités, « De la pauvreté en esprit ». Paris: Gallimard, 1987.

HENRY, M. Philosophie et phenomenologie du corps. Paris: PUF, 1965.

GABELLIERI, E. Simone Weil. Paris: Ellipses, 2001.

GABELLIERI, E.; L’YVONNET, F. Simone Weil. Paris: Les Cahiers de l’Herne, 2014. p. 329-334.

LACROIX, X. Le corps de chair: les dimensions éthique, esthétique et spirituelle de l’amour. 4.ed. Paris: Cerf, 1992.

LACROIX, X. Le corps et l’esprit. 2.ed. Paris: Vie Chrétienne, 1996.

LÉVINAS, E. Totalité et infini: essai sur l’extériorité. Paris: Biblio essais, 1968.

LÉVINAS, E. Ética e infinito: diálogos com Philippe Nemo. Lisboa: Edições 70, 1982.

LÉVINAS, E. Autremente qu’être ou au-delà de l’essence. Paris: Biblio essais, 1994.

LÉVINAS, E. Totalidade e infinito. Lisboa: Edições 70, 2000. Tradução da edição francesa.

McGINN, B. The presence of God: A History of Western Christian Mysticism. London: Press, 1992. v. I.

McGINN, B. As fundações da mística: das origens ao século V. São Paulo: Paulus, 2012. Tomo I.

NOLAN, A. Jesus hoje. Uma espiritualidade de liberdade radical. São Paulo: Paulinas, 2008

PÉTREMENT, S. La vie de Simone Weil. Paris: Fayard, 1973. 2.v.

SCHWEITZER, A. O misticismo de Paulo, o apóstolo. São Paulo: Fonte Editorial, 2006.

SPONVILLE, A.-C. Dicionário filosófico. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

TANQUEREY. Tratado de Ascética e Mística. Porto: Apostolado da imprensa, 1961.

VELASCO, J. M. El fenômeno místico: estúdio comparado. Madri: Trotta, 1999.

VELASCO, J. M. La experiencia mística. Estudio interdisciplinar. Madri: Trotta, 2004.

VETÖ, M. La métaphysique religieuse de Simone Weil. Paris: L’Harmattan, 1997.

(Collection Ouverture philosophique).

VETÖ, M. La metafisica religiosa di Simone Weil. Trad. Giaccio G. Casalecchio: Arianna Editrice, 2001.

WEIL, É. Pratique et praxis. In: Encyclopædia Universalis [en ligne]. [20-?] Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2017.

WEIL, S. La Connaissance Surnaturelle (Cahiers d’Amérique). Paris: Gallimard, 1950.

WEIL, S. Cahiers. Paris: Plon, 1951. Tome I.

WEIL, S. Attente de Dieu. Paris: La Colombe, 1952.

WEIL, S. Cahiers. Paris: Plon, 1953. Tome II.

WEIL, S. Cahiers. Paris: Plon, 1956. Tome III.

WEIL, S. Profession de foi. NAF 14257 (manuscrito). Cahiers religieux d’Afrique du Nord, p. 46-49, avr.-juin 1959. p. 48.

WEIL, S. Pensées sans ordre concernant l’amour de Dieu. Paris: Gallimard, 1962.

WEIL, S. La Source grecque, Gallimard, 1963.

WEIL, S. Intuitions préchrétiennes. Fayard, 1985.

WEIL, S. Oeuvres Complètes I. Premiers écrits philosophiques. Paris: Gallimard, 1988.

WEIL, S. Oeuvres Complètes VI -1: Cahiers I (1933-septembre 1941). Paris: Gallimard, 1994.

WEIL, S. Oeuvres Complètes VI -2: Cahiers II (septembre 1941-février 1942). Paris: Gallimard, 1997.

WEIL, S. La notion de valeur. In: Oeuvres. Paris, Gallimard, 1999.

WEIL, S. Oeuvres Complètes VI -3: Cahiers III (février 1942-juin 1942). Paris: Gallimard, 2002.

WEIL, S. Oeuvres Complètes IV-1: Écrits de Marseille (1940-1942), Philosophie, Science, Religion, Questions politiques et sociales. Paris: Gallimard, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/2175-1838.10.002.DS05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.