O destino do homem no plano de Deus: uma análise da antropologia patrística sobre a "imagem e semelhança"

José Neivaldo de Souza

Resumo


Há duas tradições bíblicas que narram a criação do homem. A primeira (Gn 1. 26-27) apresenta o homem feito à “imagem e semelhança” do Criador; a segunda (Gn 2.7) descreve como o ser humano veio à “vida”. Narrativas diferentes, porém com um único objetivo: apresentar a origem do homem a partir de Deus. O plano de Deus é que o homem viva e seu destino seja de acordo com os desígnios do Criador, eis a razão porque foi criado à “imagem e semelhança”. Pecado é tudo aquilo que se opõe a ao plano divino. Ao pecar, o homem perdeu o objetivo para o qual foi criado e a única imagem a qual ele vê é a sua própria, por isso a imagem de Deus ficou ofuscada e o acesso à comunhão divina obstruído. Mas Deus, em sua infinita misericórdia, não apagou de vez sua imagem na alma humana e a prova disso é Jesus Cristo, o Filho unigênito, perfeita imagem visível do Deus invisível (Cl 1.15) enviado para resgatar e recapitular tudo. O tema bíblico da imagem e semelhança é central na Antropologia dos primeiros pensadores cristãos: os Padres (Pais) da igreja. Estudaremos o tema resgatando a Antropologia Patrística, principalmente, o pensamento de escolas como a de Alexandria, asiática e africana. Considerando, de forma especial, o pensamento de Irineu de Lion, veremos como cada corrente trata o problema da imagem e semelhança no roteiro: criação, pecado e salvação.

Palavras-chave


Patrística; Criação; Imagem; Semelhança; Pecado.

Texto completo:

PDF

Referências


ABBAGNANO, N. Dizionario di filosofia. Torino: TEA, 1993.

A BÍBLIA de Jerusalém. 8. ed. São Paulo: Paulinas, 1981.

AGOSTINHO. Confissões. São Paulo: Abril cultural (Victor Civita), 1973.

(Coleção Os Pensadores VI).

ATANÁSIO. In: STEAD, G. C. Dicionário patrístico e de antiguidades

cristãs. Petrópolis, RJ: Vozes; São Paulo: Paulus, 2002. p. 181-191.

BASÍLIO DE CESARÉIA. Tratado sobre o Espírito Santo in Patrística.

São Paulo: Paulus, 2005. p. 89-187. v. 14.

CATECHISMO DELLA CHIESA CATTOLICA - CIC. Casale Monferrato:

Piemme,1993.

CHOURAQUI, A. A Bíblia: no princípio (Gênesis). Rio de Janeiro:

Imago, 1995.

CONFERÊNCIA GERAL DO EPISCOPADO LATINO-AMERICANO, 5.

Aparecida do Norte, SP. Conselho Episcopal Latino-Americano.

Documento de Aparecida. In: CONFERÊNCIA GERAL DO EPISCOPADO

LATINO-AMERICANO E DO CARIBE, 5., 2007. São Paulo. Anais... São

Paulo: Paulus, 2007. p. 348

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL - CNBB. Manual

da Campanha da Fraternidade 2008. São Paulo: Salesiana, 2008.

CULLMANN, O. Cristo e il tempo: la concezione del tempo e della storia nel

Cristianismo primitivo. Bologna: [s.n.], 1965.

ESTRADA, J. A. Imagens de Deus. São Paulo: Paulinas, 2007.

FILÓN DE ALEJANDRÍA. Interpretación alegórica I. Buenos Aires: Acervo

Cultural, 1975. v. 1, p. 131-159. ( Obras Completas de Filón de Alexandria.

Valores en el tiempo).

GREGORIO DI NISSA, Oratio catechetica, Holanda: Brill, 1996. p. 45-48b.

(Manuscrito; 15).

GROSS, J. La Divinisation du chrétien d’après les Pères grecs. Paris: Du

Cerf, 1938.

HAMMAN, A. G. La prière: les trois premiers siècles. Paris: Du Cerf,

t. 2.

HUFTIER, M. Le tragique de la condition chretienne d’après Saint

Augustin. Paris: Du Cerf, 1968.

IRÉNÉE DE LYON. Contre les Héresies. Paris: Du Cerf, 1991.

LADARIA, L. F. Introduzione alla antropologia teologica. Casale

Monferrato: Piemme, 1992.

MONDIN, B. L’uomo secondo il disegno di Dio. Bologna: ESD, 1992.

ORBE, A. El pecado de los Arcontes. Estudios Eclesiásticos, v. 43, n. 166,

p. 345-379, 1968.

PANTEGHINI, G. L’uomo alla luce di Cristo. Padova: Messaggero, 1990.

PLATO, O. Théetète, par A. Diès. Paris: Les Belles Lettres, 1923. t. VIII, 2.

PECADO/PECADO SOCIAL. In: DREWERMANN, E. Dicionário de

conceitos fundamentais de teologia. São Paulo: Paulus, 1993. p. 541.

RAPONI, S. Immagine e somiglianza nei Padri in temi di antropologia.

Roma: Teresianum, 1980.

SANTO ATANÁSIO. A encarnação do Verbo in Patrística. São Paulo:

Paulus, 2002. v. 18, p. 117-201.

SIMONETTI, M. Testi gnostici cristiani. Laterza: Bari, 1970.

______. Origene, I principi. Torino: Bari, 1968.

SPIDLIK, T. Antropologia dell’Oriente cristiano in temi di antropologia

teológica. Teresianum: Roma, 1980.

VON RAD, G. Teologia dell’Antico testamento I. Brescia: Paideia, 1972.

VERÇOSA FILHO, E. Princípios da teologia mística em São Gregório de Nissa.

In: TEIXEIRA, Faustino. Nas teias da delicadeza. São Paulo: Paulinas, 2006.

p. 23-55.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/pp.v1i1.21528

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.