Poder real, autoridade do clã e o governo de Javé

Erhard Siegfried Gerstenberger

Resumo


O artigo propõe investigar novamente algumas questões limitadas da organização social do antigo povo de Israel em relação à práxis política do poder e suas consequências para a vida espiritual e ética. Reflete ainda a respeito dos motivos de elogiar a instituição do reinado israelita em algumas camadas literárias e de denunciá­lo severamente em outras, bem como reflete também sobre o fenômeno concomitante de desprezar ou glorificar as chefias tribais. A autoridade familiar, sendo o modelo primeval de organização social, também tem um papel importante nessas considerações. Todas as opiniões encontradas nas Escrituras a respeito de qualquer organização certa e humana são motivadas por argumentos religiosos: sempre é Deus que ordena e patrocina as estruturas sociais. Assim, a pluralidade das concepções legítimas revela teologias diferentes, seja em tempos sucessivos seja ancoradas em classes precariamente coexistentes. 


Palavras-chave


Família. Poder; Monarquia; Antigo Israel; Organização social.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTZ, R. Religionsgeschichte Israels (GAT 8/1/2). Göttingen: Vandenhoeck, 1992. v. 2.

CASALDÁLIGA, D. P. Cantigas menores. Goiânia: Projornal, 1979.

CRÜSEMANN, F. Widerstand gegen das Königtum (WMANT 49).

NeukirchenVluyn: Neukirchener Verlag, 1978.

GERSTENBERGER, E. S. Theologien im Alten Testament. Pluralität und

Synkretismus alttestamentlichen Gottesglaubens. Stuttgart: Kohlhammer, 2001.

GERSTENBERGER, E. S. Biblische Enzyklopädie: Israel in der Perserzeit. Stuttgart: Kohlhammer, 2005. 5. und 4. Jahrhundert v. Chr: Bd. 8.

GOTTWALD, N. The tribes of Yahweh: a sociology of the religion of liberated Israel, 1250-1050 BCE. Maryknoll: Orbis Books, 1971.

KESSLER, R. Sozialgeschichte des alten Israel: eine einführung.

Darmstadt: Wissenschaftliche Buchgesellschaft, 2006.

MYERS, C. Discovering Eve. Oxford: University Press, 1988.

MÜLLER, R. Königtum und Gottesherrschaft: Untersuchungen zur alttestamentlichen Monarchiekritik (FAT II, 3). Tübingen: Mohr, 2004.

RIBEIRO, D. O processo civilizatório: estudos de antropologia da civilização. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1979.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/pp.v3i1.14285

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.