O dialogar da Revista Diálogo com o professor-leitor do Ensino Religioso

Cláudia Regina Tavares Cardoso Adkins

Resumo


Esta pesquisa considerou a contribuição da Revista Diálogo, mídia impressa editada pelo Grupo Paulinas, para a formação do professor leitor do Ensino Religioso, durante o período de 1995 a 2010. Procurou-se identificar as percepções de professores sobre o Ensino Religioso, a partir da Revista Diálogo, pela ótica da teoria do receptor-leitor. A importância do tema se dá em vista da inserção do Ensino Religioso, como área de conhecimento (1998), antecedido pela revisão do Artigo 33, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (1997), que reforçou o Ensino Religioso como disciplina curricular e área de conhecimento a ser ensinada nas escolas públicas do ensino fundamental. Considerados o objeto do estudo e o conteúdo a ser analisado, houve apoio teórico em Freire, Junqueira e Garcia. Embasando a teoria da recepção, com ênfase no leitor-professor e a função da linguagem na mensagem da revista, foram consultados Bordenave, Chalhub, Chartier, Martín-Barbero, Mattelart, entre outros. Foi demonstrado que a Diálogo auxilia no aprofundamento e na atualização sobre o fenômeno religioso, orientando e ampliando o conhecimento dos leitores. Portanto, no ponto de vista do professor-leitor, a Revista Diálogo contribuiu para a formação continuada do docente do Ensino Religioso. Esse leitor-professor encontra-se no processo dinâmico pela busca da formação continuada e permanente. O Ensino Religioso encontra espaço para levar o aluno a refletir sobre o sentido da vida e assumir um compromisso responsável de transformação da realidade segundo os valores religiosos, por meio de escolhas livres e coerentes.


Palavras-chave


Educação; Ensino Religioso; Formação de professores; Comunicação; Leitores-receptores

Referências


ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO RELIGIOSO, 10., Fortaleza. Ata...

Fortaleza: [s.n.], 1994.

BELTRÃO, L. Técnica de jornal. Recife: Icinform, 1964.

BORDENAVE, J. E. D. Além dos meios e mensagens: introdução à comunicação

como processo, tecnologia, sistema e ciência. Petrópolis: Vozes, 1995.

BRASIL. Lei n. 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa diretrizes e bases para o ensino de primeiro e segundo graus, e da outras providencias. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 12 ago. 1971. p. 6377. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2009.

______. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases

da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 23 dez. 1996. p. 27833. Disponível em:. Acesso

em: 23 jul. 2009.

______. Presidência da República. Lei n. 9.475/97, de 22 de julho de 1997. Alteração, normas, correlação, facultatividade, disciplina escolar, religião, estabelecimento de ensino, ensino fundamental, território nacional, competência, sistema de ensino, fixação, conteúdo, disciplina escolar, religião. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, Congresso Nacional, 23 jul. 1997. coluna 2, p. 15824. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2010.

CHALHUB, S. Funções da linguagem. São Paulo: Ática, 2002.

CHARTIER, R. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP, 1999.

______. Os desafios da escrita. São Paulo: UNESP, 2002.

CORRÊA, B. R. do P. G. Concepções dos professores sobre o sagrado: implicações para a formação docente. Curitiba, 2006. 109 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2006.

DIÁLOGO, Revista. São Paulo: Paulinas, v. 0, out. 1995.

______. São Paulo: Paulinas, v. 1, mar. 1996.

______. São Paulo: Paulinas, v. 2, mar. 1997.

______. São Paulo: Paulinas, v. 3, ago. 1998.

______. São Paulo: Paulinas, v. 7, mar. 2002.

______. São Paulo: Paulinas, v. 9, mar. 2004.

______. São Paulo: Paulinas, v. 10, ago. 2005.

FAUSTO, B. História do Brasil. São Paulo: EDUSP, 1995.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

GARCIA, C. M. Formação de professores. Porto: Porto, 1999.

JUNQUEIRA, S. R. A. O processo de escolarização do Ensino Religioso no

Brasil. Petrópolis: Vozes, 2002.

KOTLER, P. Marketing. São Paulo: Atlas, 1980.

MARTIN-BARBERO, J. América Latina e os anos recentes: o estudo da recepção em Comunicação Social. In: SOUZA, M. W. (Org.). Sujeito, o lado oculto do receptor. São Paulo: Brasiliense; ECA, 1995. p. 39-70.

MATTELART, A.; MATTELART, M. História das teorias da comunicação. São Paulo: Loyola, 1999.

MELO, J. M. de. Comunicação e modernidade: o ensino e a pesquisa nas escolas de comunicação. São Paulo: Loyola, 1991.

PERRENOUD, P. Formar professores em contextos sociais em mudança. Revista Brasileira de Educação, n. 12, p. 5-21, set./dez. 1999.

SANTHIAGO, R. Outras vozes pela cidadania: aspectos da interação leitor/publicação no espaço de cartas do leitor. 2005. Disponível em:

SENA, L. M. de O. Dez anos de diálogo. Revista de Educação AEC, n. 138, p. 94-96, 2006.

RELATÓRIO do Departamento de Marketing e Publicidade da Revista Diálogo. São Paulo: Edições Paulinas, 2003.

UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL ORGANIZATION – UNESCO. O perfil dos professores brasileiros: o que fazem, o que pensam, o que almejam. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. São Paulo: Moderna, 2004. 224 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/pp.v2i2.13160

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.