Elementos para uma espiritualidade do diálogo inter-religioso

Elias Wolff

Resumo


O termo espiritualidade tem um significado eminentemente plural em sua origem etimológica e em seu universo semântico. Essa pluralidade caracteriza sua natureza como algo dinâmico e circunscrito à existência de indivíduos e grupos, expressando a diversidade religiosa do nosso tempo. A compreensão de tal realidade apresenta dificuldades em função da complexidade e multiplicidade de formas e conteúdos historicamente construídos nas diferentes culturas. No mundo multirreligioso, existem tensões e conflitos entre tradições religiosas que não poucas vezes desequilibram o complexo social, mesmo em sociedades que afirmam os valores da democracia, da igualdade, da liberdade. Propomo-nos refletir, aqui, sobre as possibilidades de encontro entre as religiões a partir do encontro de suas espiritualidades. As religiões dificilmente se encontram em suas doutrinas, seus mitos, seus ritos, seu ethos. Mas podem encontrar-se “no espírito” que anima esses elementos. Nossa tese é que somente onde isso for possível pode-se pensar num diálogo inter-religioso fecundo. Faz-se mister, portanto, identificar os elementos de uma espiritualidade do diálogo inter-religioso como fundamento da convivência e cooperação entre as religiões. É a partir de uma sintonia espiritual que os contrastes teóricos e práticos das religiões podem ser trabalhados no sentido de favorecer uma fecundação recíproca pelo mútuo conhecimento e pela acolhida, pelo intercâmbio e pela cooperação.


Palavras-chave


Espiritualidade; Religião; Diálogo; Cooperação.

Texto completo:

PDF

Referências


AMALADOSS, M. Pelas estradas da vida: prática do diálogo inter-religioso. São Paulo: Paulinas, 1996.

BINGMER, M. C.; CARNEIRO DE ANDRADE, P. F. (Org.) Secularização: novos desafios. Rio de Janeiro: Ed. da PUC Rio, 2012.

BRETON, S. Unicité et monothéisme. Paris: Cerf, 1981.

CASALDÁLIGA, P.; MARIA VIGIL, J. Espiritualidade da libertação. Petrópolis: Vozes, 1996.

COMMISSION FOR DIALOGUE AND ECUMENISM. Guidelines for Interreligious Dialogue. New Delhi: CBCI Centre, 1989.

CONCÍLIO VATICANO II. Constituição dogmática Lumen Gentium sobre a Igreja. In: DOCUMENTOS DO CONCÍLIO VATICANO II. São Paulo: Paulus, 1997.

CONCÍLIO VATICANO II. Constituição dogmática Dei Verbum sobre a revelação divina. In: DOCUMENTOS DO CONCÍLIO VATICANO II. São Paulo: Paulus, 1997.

CONCÍLIO VATICANO II. Declaração Nostra Aetate sobre as relações da Igreja com as religiões não-cristãs. In: DOCUMENTOS DO CONCÍLIO VATICANO II. São Paulo: Paulus, 1997.

CONCÍLIO VATICANO II. Decreto Ad Gentes sobre a atividade missionária da Igreja. In: DOCUMENTOS DO CONCÍLIO VATICANO II. São Paulo: Paulus, 1997.

CONCÍLIO VATICANO II. Constituição pastoral Gaudium et Spes sobre a Igreja no mundo de hoje. In: DOCUMENTOS DO CONCÍLIO VATICANO II. São Paulo: Paulus, 1997.

CROATTO, J. S. As linguagens da experiência religiosa: uma introdução à fenomenologia da religião. São Paulo: Paulinas, 2001.

DE FIORIS, S.; GOFFI, T. (Org.). Dicionário de espiritualidade. São Paulo: Paulinas, 1989.

DHAVAMONY, M. Teologia de las religiones. Madrid: San Pablo, 1998.

DUPUIS, J. Verso una teologia cristiana del pluralismo religioso. Brescia: Queriniana, 1997.

DUPUIS, J. Il cristianesimo e le religioni: dallo scontro all’incontro. Brescia: Queriniana, 2001.

GIOVANNI PAOLO II. Discorso dall’auditorium di “Radio Veritas” Asia, 21 febbraio 1981. In: GIOVANNI PAOLO II. Insegnamenti di Giovanni Paolo II. Roma: Libreria Editrice Vaticana, 1981. v. 4/1. p. 452-460.

GIOVANNI PAOLO II. Discorso alla curia romana per gli auguri di natale, 22 dicembre 1986. In: GIOVANNI PAOLO II. Insegnamenti di Giovanni Paolo II. Roma: Libreria Editrice Vaticana, 1986. v. 9/2. p. 2019-2030.

DICKSON, G. G. Religião: uma invenção ocidental? Concilium, n. 302, p. 11-21, set./out. 2003.

FERM, V. (Dir.). Ancient religions. New York: The Citadel Press, 1965.

FILORAMO, G.; PRANDI, C. As ciências das religiões. São Paulo: Paulus, 1999.

JOÃO PAULO II. Carta encíclica Redemptoris Missio: sobre a validade permanente do mandato missionário. Petrópolis: Vozes, 1991.

(Documentos Pontifícios; 239)

KÜNG, H. Projeto de uma ética mundial: uma moral ecumênica em vista da sobrevivência humana. São Paulo: Paulinas, 1992.

MACDERMOTT, R. A. (Org.) Basic writings of S. Radhakrishnan. New York: Hutton Publischer, 1976.

OTTO, R. O sagrado: um estudo do elemento não-racional na idéia do divino e a sua relação com o racional. São Bernardo do Campo: Imprensa Metodista, 1985.

PONTIFÍCIO CONSELHO PARA O DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO; CONGREGAÇÃO PARA A EVANGELIZAÇÃO DOS POVOS. Diálogo e Anúncio. São Paulo: Paulinas, 1996.

QUEIRUGA, A. T. A revelação de Deus na realização humana. São Paulo: Paulus, 1995.

QUEIRUGA, A. T. O diálogo das religiões. São Paulo: Paulus, 1997.

QUEIRUGA, A. T. Fim do cristianismo pré-moderno. São Paulo: Paulus, 2003.

RHANER, K. Il cristianesimo e le religioni non Cristiane. In: RHANER, K. Saggi di antropologia soprannaturale. Roma: Paoline, 1965.

SCHUON, F. A unidade transcendente das religiões. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1971.

SECRETARIADO PARA OS NÃO-CRISTÃOS. A Igreja e as outras religiões: Diálogo e Missão. Roma, 1984. Disponível em: . Acesso em: 31 mar. 2015.

SUZUKI, D. T. Misticismo Cristiano e Budhista. Roma: Astrolabio Ubaldini, 1971.

TEIXEIRA, F.; DIAS, Z. M. Ecumenismo e diálogo inter-religioso: a arte do possível. Aparecida: Santuário, 2008.

TILLICH, P. La mia ricerca degli assoluti. Roma: Ubaldini, 1968.

TILLICH, P. Teología sistemática. Salamanca: Sígueme, 1982. v. 1.

TILLICH, P. Il futuro delle religioni. Brescia: Queriniana, 1970.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/revistapistispraxis.07.001.ds04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.