ATRIBUTOS PESSOAIS DE UMA CRIANÇA COM PARALISIA CEREBRAL COMO DETERMINANTES DA AÇÃO FISIOTERAPÊUTICA

Joyce Ribeiro, Marcus Vinicius Marques de Moraes, Thais Silva Beltrame

Resumo


Este estudo objetivou verificar como os atributos pessoais de uma criança com Paralisia Cerebral são determinantes no estabelecimento da relação interpessoal com o Fisioterapeuta. Trata-se de uma pesquisa quali-quantitativa do tipo estudo de caso, realizada em uma escola Especial de Florianópolis-SC e teve como participantes uma criança do sexo feminino, nascida no dia 10/08/99 e a Fisioterapeuta da Instituição. Para a coleta de dados foram utilizados os seguintes instrumentos: Ficha de avaliação Fisioterapêutica, Gross Motos Function Measure (GMFM-88), Entrevistas Semi-estruturadas com Fisioterapeuta, Matriz de observação das relações Interpessoais, Matriz de tom Afetivo e Prontuário. Quanto aos atributos pessoais identificados, disposições disrruptivas não foram citadas e como disposições geradoras, atenção, curiosidade, interesse pelas atividades bem como a aceitação da presença e participação de outras pessoas no momento da Fisioterapia foram identificadas. A criança despertava o interesse da Fisioterapeuta em se aproximar dela revelando uma demanda positiva. Identificaram-se como recursos passivos a Paralisia Cerebral, o atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, a afasia e as alterações no sistema cardiorrespiratório. As atividades realizadas durante as sessões de Fisioterapia eram do tipo compartilhadas e o tom afetivo apresentado era positivo. Pode-se constatar que os atributos pessoais da criança investigada foram relevantes no estabelecimento da relação entre esta e a Fisioterapeuta, pois atributos identificados foram instigantes para a aproximação e motivação da Fisioterapeuta em contribuir com o desenvolvimento neuropsicomotor desta criança.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.