O valor do corpo na construção da identidade

Marta Cordeiro

Resumo


A dupla condição do corpo – a qualidade animal, ligada ao funcionamento biológico; e a visibilidade social, ou o corpo como imagem – torna-o objecto primordial na estratégia do mercado de consumo, cujas estratégias se orientam para a preservação da saúde e o melhoramento da aparência. Atualmente, a ideia de identidade como projecto particular, da responsabilidade de cada indivíduo, faz com que o valor de exposição do corpo assegure não apenas a difusão, mas também a própria construção da identidade, situação que gera ansiedade por parte dos indivíduos, livres e simultaneamente desprotegidos pela exaustação dos sistemas interpretativos. A construção da identidade apoia-se nas mensagens divulgadas pelos media – especialmente por meio dos estilos de vida propostos pelas designadas “celebridades” – como forma de minorar as ansiedades decorrentes da necessidade de escolha. A equivalência entre identidade e imagem é demonstrável a partir da análise da obra da artista plástica Cindy Sherman, que faz depender a identidade da alteração da aparência.


Palavras-chave


Subjectivo; Tecnologia; Cibercultura; Ciberespaço

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rec.v12i27.22354

Apontamentos

  • Não há apontamentos.