Macrofauna associada à Nidularium Lem. (Bromeliaceae) de diferentes estratos verticais em um fragmento de Floresta com Araucaria, Curitiba, Paraná, Brasil

Marlon Panizon, Edinalva Oliveira, Cláudia Regina Bosa

Resumo


As bromélias são plantas epífitas, terrestres ou rupícolas, que em cuja
roseta pode se acumular grandes volumes de água, detritos orgânicos e
abrigar uma comunidade fitotélmica particular. O objetivo do presente
estudo foi verificar a composição, variação vertical, temporal e analisar
índices ecológicos da macrofauna associada ao gênero Nidularium. A área
de estudo situa-se em um fragmento de Floresta Ombrófila Mista, anexo ao
Zoológico Municipal de Curitiba. Duas campanhas de amostragem foram
realizadas: uma no outono (Abril/2011) e outra na primavera
(Setembro/2011). Cinco espécimes da planta por estrato foram extraídos:
Solo - 0 m; 2 a 4 m; 4 à 8 m; e 8 à 12 m, totalizando 20 réplicas por
estação e 40 ao total. 1778 organismos foram coligidos, 753 (42,3%) no
outono e 1026 (57,7%) na primavera. A classe Hexapoda apresentou a maior
abundância, compreendendo 6 ordens, distribuídas em 24 famílias, com
destaque para: Hymenoptera – Formicidae; Colembola – Isotomidae e
Coleoptera – Scirtidae. Os valores da riqueza de taxa, dominância de
Simpson, diversidade de Shannon-Wiener, riqueza de Margalef,
equitabilidade de Pielou e o estimador Jacnife de segunda ordem foram
mais elevados nas amostragens do outono. A ocorrência dos taxa não foi
influenciada pela estratificação. Sugere-se novas abordagens na área de
estudo, em outras estações, numa amplitude de estratificação maior,
considerando fatores microclimáticos e outros dados abióticos.


Palavras-chave


Fitotelma; Diversidade Biológica; Zoológico Municipal de Curitiba

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/estud.biol.36.086.AO14

Apontamentos

  • Não há apontamentos.