Avaliação da massa corpórea de Didelphis albiventris e Didelphis aurita Linnaeus 1758 (Didelphimorphia: Didelphidae) em cativeiro

Maurício Claudio Horta, Ricardo Augusto Dias, Thiago Fernandes Martins, Jonas Moraes-Filho, Simone Cristina Rosa, Guilherme Sakae Sabatini, Marcelo Bahia Labruna

Resumo


O presente trabalho objetivou verificar o desenvolvimento corpóreo de filhotes de Didelphis albiventris e Didelphis aurita por 52 semanas, possibilitando um maior conhecimento de sua biologia em cativeiro. Os gambás foram separados da mãe a partir da 13ª semana de idade, individualizados e alimentados uma vez ao dia, com ração seca para cães adultos; frutas como manga, banana e laranja; ovos de galinha com casca e água ad libitum. A massa corporal foi mensurada da 13ª à 52ª semana de vida, uma vez por semana, com utilização de balança digital. A média de massa de D. albiventris e D. aurita variou, respectivamente, de 200-270g (média = 232g) e 140-190g (média = 155g) na 13ª semana; e de 1.490-2.300g (média = 1.885g) e 1.310-2.170g (média = 1.651g) na 52ª semana. Os valores obtidos foram comparados com as seguintes funções: linear, logarítmico, quadrático, cúbico e exponencial. Todos os modelos testados foram significativos (p<0,001), porém o modelo que apresentou o melhor coeficiente de determinação (R2) foi o modelo cúbico para D. albiventris, e o modelo exponencial, para D. aurita. Os gambás apresentaram um padrão de crescimento corporal mais lento e uniforme nas primeiras semanas e mais acelerado nas semanas subsequentes, de acordo com a massa corporal inicial de cada indivíduo.

Palavras-chave


Didelphis albiventris; Didelphis aurita; Gambá

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/estud.biol.36.086.AO13

Apontamentos

  • Não há apontamentos.