O IMPACTO PSICOLÓGICO DO DIAGNÓSTICO POSITIVO DO TESTE DO PEZINHO NA RELAÇÃO MÃE–BEBÊ

Mariane L. Bonato, Salmo Raskin, Rosa Maria Marini Mariotto, Fabio R. Faucz

Resumo


Este artigo apresenta os resultados obtidos em uma pesquisa investigativa com 15 mães cujos filhos submeteram-se a um rastreamento para confirmação de fibrose cística. Dessa amostra, apenas 1 caso confirmou o diagnóstico, porém, evidenciou-se que mesmo a suspeita da doença já produz interferências no estabelecimento do laço entre mãe e bebê.

Palavras-chave


Teste do pezinho; Fibrose cística; Relação mãe-bebê

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/reb.v27i60.21927

Apontamentos

  • Não há apontamentos.