Os “padres novos” no Brasil. Aspectos históricos e formação identitária

Autores

  • Alzirinha R. Souza Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Instituto São Paulo de Ensino Superior ITESP

DOI:

https://doi.org/10.7213/2175-1838.13.03.DS01

Palavras-chave:

Eclesiologia, Ministérios. Formação presbiteral, Identidade, Padres novos.

Resumo

O processo de formação presbiteral foi e sempre será uma questão fundamental na Igreja em seus aspectos humanos, identitários e históricos. Este texto propõe uma reflexão histórico-teológica sobre as questões perenes que permeiam a formação presbiteral de todos os tempos, trazidas à tona, mais uma vez, pela pesquisa sobre o perfil dos “padres novos” no Brasil, notadamente em relação aos dados levantados relativos ao processo de formação dos presbíteros e as motivações vocacionais. Três das dez questões concernentes à vida e o exercício do ministério dos presbíteros estão aqui em pauta: 1. Como anda o processo de formação dos futuros presbíteros hoje; 2. O que parece motivar um jovem ser padre hoje; 3. O que parece desmotivar um jovem ser padre hoje. O texto está organizado em três momentos: no primeiro, faz-se uma apresentação dos dados levantados; no segundo, uma análise preliminar dos mesmos; no terceiro, se apresenta algumas considerações de caráter teológico-pastoral em relação à formação presbiteral, a partir dos elementos-chave de maior incidência nas respostas às três perguntas em questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alzirinha R. Souza, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Instituto São Paulo de Ensino Superior ITESP

Doutora em Teologia Sistemática pela Universidade Católica de Lovaina - Catholique de Louvain; mestrado em teologia sistemática pela Universidade Pontifícia de Salamanca.

Downloads

Publicado

2021-12-22

Como Citar

Souza, A. R. (2021). Os “padres novos” no Brasil. Aspectos históricos e formação identitária. Revista Pistis Praxis, 13(3). https://doi.org/10.7213/2175-1838.13.03.DS01