BIOÉTICA NO INÍCIO DA VIDA

Autores

  • Christian de Paul de Barchifontaine Centro Universitário São Camilo

DOI:

https://doi.org/10.7213/pp.v2i1.13499

Palavras-chave:

Início da vida, Embriões, Religiões, Bioética.

Resumo

Há uma grande dificuldade em explicar o que é a vida. Por mais de 2 mil anos, essa indefinição foi motivo de inquietação só para poucos filósofos. Em geral, nos contentamos em falar que vida é vida e pronto. Hoje, porém, a ciência mexe fundo nesse conceito. Expressões como “proveta” e “manipulação genética” estão cada vez mais presentes no cotidiano. E a pergunta sobre o que é a vida, e quando ela começa, virou uma polêmica que vai guiar boa parte da sociedade em que vamos viver. A resposta sobre a origem de um indivíduo será decisiva para determinar se aborto é crime ou não, e se é ético manipular embriões humanos em busca da cura para doenças como o mal de Alzheimer e deficiências físicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christian de Paul de Barchifontaine, Centro Universitário São Camilo

Enfermeiro, Doutorando em Enfermagem na Universidade Católica Portuguesa (UCP), docente no Mestrado em Bioética do Centro Universitário São Camilo, pesquisador do Núcleo de Bioética do Centro Universitário São Camilo e Reitor do Centro Universitário São Camilo, SP - Brasil.

Referências

ALMEIDA, M. Considerações de ordem ética sobre o início e o fim da vida. 1988. 81 f. Tese (Concurso de Livre-Docência) – Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1988.

CAMPS, V. Virtudes publicas. Madrid: Epasa, 1993.

CALLAHAN, D. Abortion: law, choice and morality. Cambridge Mass: Macmillan Co. University Press, 1970.

LENOIR, N.; MATHIEU, B. Les normes internationales de la bioéthique. Paris: PUF, 1998.

MÚNERA, A. D. Concepciones alternativas sobre sexualidad, reprodución, anticoncepción y aborto. In: ENCUENTRO SOBRE ASPECTOS PSICOLOGICOS Y ETICOS EN SALUD REPRODUCTIVA, 1., 1993, Montevideo. Anais...Montevideo:

[s.n.], 1993.

SOUSA SANTOS, B. Ciência. In: CARRILHO, M. M. (Ed.). Dicionário do pensamento contemporâneo. Lisboa: D. Quixote, 1991. p. 23-43.

UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL ORGANIZATION – UNESCO. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Assembleia geral da Organização das Nações Unidas (ONU), 10 de dezembro de 1948. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001394/139423por.pdf>. Acesso em: 12 ago. 2009.

UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL ORGANIZATION

– UNESCO. Declaração Universal sobre o Genoma Humano e os Direitos Humanos. Conferência Geral da Unesco, Paris, sessão 29, 1997. Disponível em:<http://portal.unesco.org/ en/ev.php URL_ID=10240&URL_DO=DO_TOPIC&URL_SECTION=201.html>. Acesso em: 12 ago. 2009.

Downloads

Publicado

2010-10-24

Como Citar

de Barchifontaine, C. de P. (2010). BIOÉTICA NO INÍCIO DA VIDA. Revista Pistis Praxis, 2(1), 41–55. https://doi.org/10.7213/pp.v2i1.13499