Prevalência de fraturas mandibulares no serviço de residência em cirurgia bucomaxilofacial do Hospital Universitário do Oeste do Paraná

Autores

  • Bruno Marques Sbardelotto
  • Eleonor Álvaro Garbin Júnior
  • Greison Rabelo de Oliveira
  • Geraldo Luiz Griza
  • Cláudio do Nascimento Fleig
  • Aline Cristine Sinegalia

DOI:

https://doi.org/10.7213/archivesoforalresearch.09.003.AO07

Palavras-chave:

Epidemiologia, Fraturas mandibulares, Traumatologia

Resumo


Objetivo: A mandíbula apresenta um alto índice de acometimento nos traumatismos de face. Tais fraturas podem levar a grandes prejuízos estéticos, funcionais e financeiros e suas características epidemiológicas têm sofrido alterações em diversas localidades. O objetivo, portanto, é traçar o perfil dos pacientes com fratura mandibular atendidos no Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP), Cascavel (PR), Brasil, dando enfoque em sua etiologia, relação faixa etária/gênero e região anatômica acometida. Material e métodos: Foi realizado um estudo retrospectivo dos pacientes diagnosticados com fraturas mandibulares atendidos pela especialidade no HUOP no período de junho de 2007 a junho de 2013 por meio da análise de prontuários e de exames de imagem. Os dados de ano de ocorrência do traumatismo, faixa etária, gênero, etiologia e região anatômica acometida foram coletados em uma ficha clínica específica e analisados a partir da distribuição de frequência. Resultados: Dos 785 pacientes com traumatismo maxilofacial atendidos no período do estudo, 204 (25,98%) apresentaram algum tipo de fratura mandibular. A faixa etária variou de 2 a 75 anos, proporção homem/mulher de aproximadamente 4:1. As principais etiologias foram os acidentes de trânsito (59,31%), agressões (16,18%) e ferimentos por arma de fogo (10,29%). As regiões anatômicas mais acometidas foram a parassínfise (27,73%), côndilo (26,4%) e ângulo mandibular (13,86%). Conclusão: A incidência e causas de fraturas mandibulares refletem o padrão de traumatismo facial de uma comunidade e, portanto, podem auxiliar no desenvolvimento de medidas preventivas, principalmente em relação à maior fiscalização de trânsito e controle da criminalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-11-28

Como Citar

Sbardelotto, B. M., Garbin Júnior, E. Álvaro, Oliveira, G. R. de, Griza, G. L., Fleig, C. do N., & Sinegalia, A. C. (2013). Prevalência de fraturas mandibulares no serviço de residência em cirurgia bucomaxilofacial do Hospital Universitário do Oeste do Paraná. Archives of Oral Research, 9(3). https://doi.org/10.7213/archivesoforalresearch.09.003.AO07

Edição

Seção

Artigos