APRENDIZAGEM COLABORATIVA: ATIVIDADES DE GRUPO COMO NÚCLEO E USO DO COMPUTADOR COMO CONTEXTO

Juracy C. Marques

Resumo


Discutem-se algumas teorias de aprendizagem que contribuem para o melhor entendimento da Aprendizagem Colaborativa centrada nas atividades de grupo em seus processos de interação e interatividade virtual. Destaca-se a importância de ambientes de aprendizagem que ensejem uma perspectiva que acolha a mediação de dispositivos culturais nas atividades de grupo e na aprendizagem, através do diálogo. O uso do computador como contexto preferencial das ações das pessoas e dos grupos que correspondam a suas motivações, objetivos e interesses, sabendo-se que o pensamento e o raciocínio estão sempre imbuídos do que ocorre no plano social. Os participantes são marcados pela mediação de seus instrumentos culturais, o que os torna mais flexíveis para testar e comunicar suas idéias, organizando suas atividades e os conseqüentes resultados de aprendizagem. As mediações são interdependentes, mas podem ser analisadas em diferentes níveis, as condições concretas, o refinamento das idéias ao contrastar as suas com as dos outros em face das experiências vividas, alterando seus pressupostos e visões de mundo. Defende-se que o mero uso do computador ou da Internet com seus múltiplos equipamentos não se constituem, por si, numa mudança teórica sobre o que é aprender. Pode ser mera repetição de antigas concepções e teorias de aprendizagem revestidas pelo charme do impacto dos recursos de multimídia. Questiona-se o conhecimento sobre como ocorrem as mediações sociais e culturais nos processos de aprendizagem em diferentes estruturas de participação, e de como os instrumentos culturais tornam-se mediadores da cognição e das atividades de grupo, sugerindo-se que isso pode vir a ser uma agenda para futuras pesquisas.

Palavras-chave


Mediação; Cultura; Uso do Computador; Teorias de Aprendizagem.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat