MAIS ALÉM DO AUTISMO: A psicose infantil e seu não lugar na atual nosografia psiquiátrica

Leda Mariza Fischer Bernardino

Resumo


Neste artigo discute-se a predominância do discurso científico da psiquiatria geral norte-americana e suas consequências para o estudo da psicopatologia infantil, principalmente no que se refere ao desaparecimento da categoria psicose infantil. Esse quadro clínico, segundo o discurso psicanalítico, apresenta diferenças importantes quanto ao autismo infantil e outros quadros descritos no DSM-IV, tanto no que se refere ao diagnóstico quanto ao tratamento. Sua não diferenciação acabou produzindo um incremento significativo nos casos diagnosticados como de autismo infantil. Discutem-se os critérios econômicos e ideológicos que sustentam essa mudança de paradigma na psicopatologia infantil. Sustenta-se a posição psicanalítica de ir além da descrição sintomatológica e dar lugar às defesas e à consideração do sofrimento psíquico em questão.


Palavras-chave


Psicose infantil. Autismo. Psicopatologia. Psiquiatria infantil.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat