O concílio do Vaticano II ou igreja em continuo Aggiornamento

Mário de França Miranda

Resumo


O autor sintoniza com uma perspectiva extremamente cara a João XXIII e essencial para a compreensão do Concílio. O Vaticano II não é, em primeiro lugar, um concílio de temas, mas um concílio de atitudes. E a atitude fundamental que se exige de uma Igreja que realiza a sua missão na história e, portanto, sempre em novos contextos,declina-se em duas palavras: aggiornamento e diálogo. Aquilo que, para muitos, seria a fraqueza do Concílio – apontada especialmente em seu primeiro período (outubro/dezembro de 1962) – revela-se, ao contrário, justamente como a sua perspectiva de fundo. Aggiornamento e diálogo nos ajudam a perceber, em temas aparentemente tão diversos como liturgia, revelação, presença no mundo, o mesmo dinamismo propulsor,cujo fundamento último é o mistério da encarnação.

Palavras-chave


Igreja; Concílio; Aggiornamento; Diálogo.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERIGO, G. La condition chrétienne après Vatican II. In: ALBERIGO, G.; JOSSUA, J.-P. (Ed.). La réception de Vatican II. Paris: Éd. du Cerf, 1985. p. 26-38.

ALBERIGO, G. Fedeltà e creatività nella ricezione del concilio Vaticano II. Criteri ermeneutici. Cristianesimo nella Storia, v. 21, p. 383-402, 2000.

ALBERIGO, G. O Vaticano II e sua história. Concilium, n. 312, p. 15-26, 2005.

BARROS, P. C. A eclesiologia do Vaticano II e o ecumenismo. In: BIZON, J.; DRUBI, R. (Org.). A unidade na diversidade. São Paulo: Paulinas, 2004. p. 77-104.

CATÃO, F. O ecumenismo católico: pródromos, formulação e prospectiva de 1964 a 2004”. In: BIZON, J.; DRUBI, R. (Org.). A unidade na diversidade. São Paulo: Paulinas, 2004. p. 55-69.

CATÃO, F. O perfil distintivo do Vaticano II: recepção e interpretação. In: GONÇALVES, P. S. L.; BOMBONATTO, V. I. Concílio Vaticano II: análise e prospectivas. São Paulo: Paulinas, 2004. p. 95-115.

CONGAR, Y. L’Église de saint Augustin à l’ époque moderne. Paris: Éd. du Cerf, 1970.

DONDEYNE, A. L’essor de la culture. In: CONGAR, Y.; PEUCHMARD, M. (Ed.). L’Église dans le monde de ce temps. Paris: Éd. du Cerf, 1967. p. 458-463.

DUPUIS, J. Vers une théologie chrétienne du pluralisme religieux. Paris: Éd. du Cerf, 1997.

FEINER, J. Kommentar zum Dekret ueber den Oekumenismus. In: LEXIKON FÜR THEOLOGIE UND KIRCHE – LThK. Das Zweite Vatikanische Konzil II. Freiburg: Heder, 1967. p. 40-126.

FRANÇA MIRANDA, M. Unidad y unicidad de la iglesia. Iglesia, reino de Dios y Reino de Cristo. In: FRANÇA MIRANDA, M. Comentario teológico a la declaración Dominus Jesus. Bogotá: CELAM, 2001a. p. 187-225.

FRANÇA MIRANDA, M. Inculturação da fé: uma abordagem teológica. São Paulo: Loyola, 2001b.

FRANÇA MIRANDA, M. Verdade cristã e pluralismo religioso. Atualidade Teológica, v. 7, p. 32-49, 2003.

GIRAULT, R. La réception de l’Oecumenisme. In: ALBERIGO, G.; JOSSUA, J.-P. (Ed.). La réception de Vatican II. Paris: Éd. du Cerf, 1985. p. 211-221.

GOPEGUI, J. R. de. O Concílio Vaticano II quarenta anos depois. Perspectiva Teológica, n. 37, p. 11-30, 2005.

HENRY, A.-M. Liminaire. In: HENRY, A.-M. Les relations de l’Église avec les religions non chrétiennes. Déclaration “Nostra Aetate”. Paris: Éd. du Cerf, 1966. p. 13-26.

JOÃO PAULO II. Alocução à Cúria Romana antes da celebração do Natal. Documentation Catholique, n. 84, p. 136-137, 1987.

KOMONCHAK, J. Vatican II as an event. Theology Digest, v. 46, p. 337-352, 1999.

LORSCHEIDER, A. Introdução. In: LOPES GONÇALVES, P. S.; BOMBONATTO, I.

(Org.). Concilio Vaticano II: análise e prospectivas. São Paulo: Paulinas, 2004. p. 4-8.

LORSCHEIDER, A. Linhas mestras do Concílio Vaticano II. In: Vaticano II 40 anos depois. São Paulo: Paulinas, 2005. p. 231-233.

MELLONI, A. O que foi o Vaticano II? Breve guia para os juízos sobre o Concílio. Concilium, n. 312, p. 34-59, 2005.

PANIKKAR, R. The intra-religious dialogue. New York: Paulist Press, 1978.

POTTMEYER, H. J. Vers une nouvelle phase de réception de Vatican II. In: ALBERIGO, G.; JOSSUA, J.-P. (Éd.). La réception de Vatican II, Cogitatio Fidei. Paris: Éd. du Cerf, 1987. p. 48-62.

RACCA, D. Il dialogo interreligioso nel Concilio Vaticano II: aperture e limiti. Rassegna di Teologia, v. 38, p. 637-663, 1997.

RAMÍREZ, A. A los cuarenta años de la inauguración del Concilio Vaticano II. Cuestiones Teológicas, v. 30, p. 29-55, 2003.

ROUTHIER, G. A 40 anni dal Concilio Vaticano II: un lungo tirocinio verso un nuovo tipo di cattolicesimo. Scuola Cattolica, v. 133, p. 19-52, 2005.

SESBOUÉ, B. Pour une théologie oecuménique. Paris: Éd. du Cerf, 1990.

THEOBALD, Ch. As opções teológicas do Concílio Vaticano II: em busca de um princípio interno de interpretação. Concilium, n. 312, p. 124-136, 2005.

TEIXEIRA, F. O Concílio Vaticano II e o diálogo inter-religioso. In: GONÇALVES, P. S. L.; BOMBONATTO, V. I. (Org.). Concílio Vaticano II: análise e prospectivas. São Paulo: Paulinas, 2004. p. 273-291.

TILLARD, J. M. R. L’eucharistie sacrement de l’Église communion. In: LAURET, B.; REFOULÉ, F. Initiation à la pratique de la théologie III. Paris: Gallimard, 1993. p. 437-463.

WOLFF, E. A recepção do Decreto Unitatis redintegratio no Brasil. In: BIZON, J.; DRUBI, R. (Org.). A unidade na diversidade. São Paulo: Loyola, 2004. p. 23-53.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/revistapistispraxis.6106

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.