A Revelação no pensamento de Martin Buber

Newton Aquiles von Zuben

Resumo


Este artigo pretende apresentar o conceito de revelação no pensamento de Martin Buber como ponto axial e fundante da ontologia da relação ao concretizar a “interpresencialidade” no encontro com o Tu Eterno. A revelação é um dom de Deus, a presença de Deus ao homem sem um conteúdo doutrinal sob forma de legislação revelada. É o fenômeno pelo qual o homem não sai do momento de encontro supremo do mesmo modo que entrou. À interpelação, o homem responde pela fé (emunah). É no “entre-dois” — zwischen — que ocorre o evento da revelação (Offenbarung) e a fé (Glauben). A noção de “presença”, em seu sentido denso, expressa o mistério do encontro entre Deus e o homem. A palavra de revelação é esta: Eu sou presente como aquele que sou presente (Ehyeh Asher Ehieh) (Êxodo 3:12).


Palavras-chave


Revelação. Presença. Religiosidade. Encontro.

Texto completo:

PDF

Referências


BUBUBER, M. Judaïsme. Lagrasse (France): Verdier, 1982.

BUBER, M. Eclipse de Deus. Trad. Carlos Almeida Pereira. Campinas: Verus, 2007.

(Gottesfinsternis. Zürich: Manesse, 1953).

BUBER, M. Eu e Tu. Trad. Newton Aquiles von Zuben. 10. ed. São Paulo: Centauro, 2012.

(1ª edição brasileira, 1979. Ich und Du. 6. ed. Heidelberg: Lambert Schneider, 1974).

FRIEDMAN, M. The life of dialogue. Londres: Routledge and Kegan Paul, 1955.

HORWITZ, R. Buber´s way to “I and Thou”. An Historical Analysis and the first publication of Martin’s Buber Lectures “Religion als Gegenwart”. Heidelberg: Lambert Schneider, 1978.

SCHILPP, P. A.; FRIEDMAN, M. The philosophy of Martin Buber. London: Cambridge University Press, 1967.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/2175-1838.09.003.AO04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.