Ontologia, metáfora e fenomenologia: uma classificação contemporânea para as teologias [I]

Osvaldo Luiz Ribeiro

Resumo


Com base na sua configuração epistemológica, sob o critério de sua relação com as dimensões metafísica, retórica e comunitária, constitutivas do pensamento teológicoreligioso, propõe-se uma classificação contemporânea para o conjunto das teologias: teologia como ontologia, teologia como metáfora e teologia como fenomenologia. O objetivo da proposta é criar uma classificação que atenda ao novo cenário da teologia no Brasil, pois esta foi convidada a reunir-se ao conselho das ciências universitárias. A teologia ontológica responde pelo modelo clássico de teologia. A teologia metafórica ensaia um acordo entre crítica e pastoral. A teologia fenomenológica consistiria na tentativa de a teologia transformar-se em “ciência humana”. 


Palavras-chave


Teologia. Ontologia; Metáfora; Fenomenologia; Classificação.

Texto completo:

PDF

Referências


BOFF, C. Teoria do método teológico. Petrópolis: Vozes, 1998.

BORGES, P. Se vires o Buda, mata-o: ensaio sobre a essência do budismo. Disponível em: . Acesso em: 27 set. 2009.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP nº 241/1999. Reafirmado pelo Parecer CNE/CES nº 63/2004, “concede” cidadania à Teologia e a recebe no Sistema Federal de Ensino (SFE). Brasília, DF, 5 jul. 1999. Disponível em:

. Acesso em: 16 jul. 2009.

BULTMANN, R. Demitologização coletâna de ensaios. Tradução Walter Altmann e Luís Marcos Sander. São Leopoldo: Sinodal, 1999.

DETIENNE, M. A invenção da mitologia. 2. ed. Rio de Janeiro; Brasília, DF: José Olympio; Editora da UnB, 1998.

DILTHEY, W. Introducción a las Ciencias del Espíritu. 2. ed. México: Fondo de Cultura Económica, 1949.

DOSSE, F. O império dos sentidos. Bauru: EDUSC, 2003.

ELIADE, M. Tratado de história das religiões. Lisboa: Cosmos, 1990.

ELIADE, M. Origens. Lisboa: Edições 70, 1989.

FEUERBACH, L. A essência do cristianismo. Campinas: Papirus, 1988.

FEUERBACH, L. Preleções sobre a essência da religião. Campinas:

Papirus, 1989a.

FEUERBACH, L. A essência da religião. Campinas: Papirus, 1989b.

GIBELLINI, R. A teologia do século XX. São Paulo: Loyola, 1998.

HASEL, G. F. Teologia do Antigo Testamento: questões fundamentais do debate atual. Rio de Janeiro: JUERP, 1987.

HUIZINGA, J. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2005.

INSOLL, T. Archaeology, ritual, religion. London: Routledge, 2004.

KÜNG, H. Teologia a caminho: fundamentação para o diálogo acadêmico. São Paulo: Paulinas, 1999.

LABURTHE-TOLRA, P.; WARNIER, J-P. Etnologia-Antropologia. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

LEMCHE, N. P. The Old Testament between theology and history: a critical survey. Louisville: Westminster Jon Knox Press, 2008.

LEROI-GOURHAN, A. As religiões da Pré-História. Lisboa: Edições 70, 1989.

LOSURDO, D. Nietzsche, il ribelle aristocratico: biografia intellettuale e bilancio critico. Bollati Boringhieri: Torino, 2004.

McGINN, B. Meister Eckhart: an introduction. In: SZARMACH, P. E. An introduction to the medieval mystics of Europe: fourteen original essays. Albany: State University of New York Press, 1984. p. 75-108.

MIRANDA, M. F. de. Inculturação da fé: uma abordagem teológica. São Paulo: Loyola, 2001.

MORIN, E. O método 5 – a humanidade da humanidade: a identidade humana. 2. ed. Porto Alegre: Sulina, 2003.

PALMER, R. E. Hermenêutica. Lisboa: Edições 70, 1999.

RIBEIRO, O. L. Teologia no divã. Pistis & Práxis: Teologia e Pastoral, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 199-218, 2009.

ROCHA, A. Teologia sistemática no horizonte pós-moderno: um novo olhar para a linguagem teológica. São Paulo: Vida, 2007.

TEIXEIRA, F. (Org.). A(s) Ciência(s) da Religião no Brasil: afirmação de uma área acadêmica. São Paulo: Paulinas, 2001.

TILLICH, P. Dinâmica da fé. 4. ed. São Leopoldo: Sinodal, 1985.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/pp.v3i1.14369

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.