Os poderes do mal e as máscaras do diabo [I]

Valmor da Silva

Resumo


Este trabalho apresenta um panorama sobre o mal nas diversas ciências e, principalmente, na Bíblia e no cristianismo, buscando dissociá-lo das máscaras do diabo. Nas ciências, expõe a noção de mal na antropologia, na literatura sagrada, na sociologia, na psicologia, na filosofia e nas religiões. Segue com a demonização do desconhecido, em que apresenta culturas que não apelam para a figura do demônio e para outras em que suas divindades são vistas como demônios. Perfaz, enfim, a história do mal na Bíblia, com a ideia de que sua representação passou a ser feita apenas após o exílio. Destaca momentos em que o mal não possui personificação, seja na Bíblia seja no cristianismo. 


Palavras-chave


Diabo; Divindades; Mal; Poder.

Texto completo:

PDF

Referências


ABBAGNANO, N. Dicionário de filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

BAUMAN, S. Modernidade e ambivalência. Rio de Janeiro: Zahar, 1999.

CROATTO, J. S. As linguagens da experiência religiosa: uma introdução à fenomenologia da religião. São Paulo: Paulinas, 2001.

DI NOLA, A. M. Il Diavolo: le forme, la storia, le vicende di Satana e la sua universale e malefica presenza presso tutti i popoli dall´antichità ai nostri giorni. Roma: Newton & Compton, 2004.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

GIDDENS, A. Sociologia. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.

KILPP, N. Os poderes demoníacos no Antigo Testamento. Revista Estudos Bíblicos, Petrópolis, n. 74, p. 23-36, 2002.

LIMBECK, M. As raízes da concepção bíblica acerca do diabo e dos demônios. Revista Concilium, Petrópolis, v. 103, p. 282-294, 1975.

MUCHEMBLED, R. Uma história do diabo: séculos XII-XX. Rio de Janeiro: Bom Texto, 2001.

NOGUEIRA, C. R. F. O diabo no imaginário cristão. Bauru: EDUSC, 2002.

PAGELS, E. As origens de Satanás: um estudo sobre o poder que as forças irracionais exercem na sociedade moderna. Rio de Janeiro: Ediouro, 1996.

PESAVENTO, S. J. Em busca de uma outra história: imaginando o imaginário. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 15, n. 29, p. 9-27, 1995.

PINZETTA, I. O mal e suas determinações na história. Revista Estudos Bíblicos, Petrópolis, n. 74, p. 37-41, 2002.

PRANDI, R. Exu, de mensageiro a diabo: sincretismo Católico e demonização do orixá Exu. Revista USP, São Paulo, n. 50, p. 46-65, 2001.

RICOEUR, P. O mal, um desafio à filosofia e à teologia. Campinas: Papirus, 1988.

RUSSEL, J. O diabo: as percepções do mal da antiguidade ao cristianismo primitivo. Rio de Janeiro: Campus, 1991.

SANFORD, J. A. Mal: o lado sombrio da realidade. São Paulo: Paulus, 1988.

SCHIAVO, L. O mal e suas representações simbólicas. Revista Estudos da Religão, São Bernardo do Campo, n. 19, p. 65-83, 2000.

SCHIAVO, L.; SILVA, V. da. Jesus, milagreiro e exorcista. São Paulo: Paulinas, 2002.

WEBER, M. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Brasília: Editora da UnB, 1999. v. 1.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/pp.v3i1.14303

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.