APOIO ESPIRITUAL A FAMÍLIAS QUE VIVENCIAM A EXPERIÊNCIA DO DIVÓRCIO TITULO

Flávia Diniz Roldão

Resumo


O trabalho faz uma reflexão teórica sobre a intervenção de ajuda e apoio espiritual a famílias que enfrentam a difícil transição do divórcio em seu ciclo vital. Aborda essa questão fazendo dialogar Psicologia e Teologia. O processo de divórcio implica diferentes tipos de perdas para as diferentes famílias e para as diferentes pessoas que fazem parte do sistema familiar. Toda perda impõe a necessidade de realização de processos de luto pelas mesmas, a fim de que o sistema possa lamentar as suas perdas, se reorganizar, e tocar a vida adiante com novos projetos. O apoio espiritual que pode ser prestado às famílias que vivenciam essa experiência de sofrimentos pelo processo de divórcio pode ser uma estratégia efetiva que sinalize possibilidades de acolhimento, esperança e transformação de sofrimentos e prantos em novas possibilidades. Destacam-se cinco diretrizes de ação para o apoio espiritual das famílias nesses casos: a) Agir com compaixão e acolher aqueles que sofrem; b) Relembrar Jesus como aquele que sacia e pode auxiliar a superar o vazio da perda; c) Auxiliar na lida com emoções dolorosas e difíceis que emergem na experiência de luto, sem negá-las, escondê-las ou banalizá-las; d) Auxiliar as pessoas a manterem os olhos voltados para a “boa nova”do Evangelho de Cristo, mantendo acesa a esperança; e) Oferecer à pessoa e à família a oportunidade de perceber que Deus pode transformar seus prantos em novas possibilidades.


Palavras-chave


Divórcio; Aconselhamento; Apoio espiritual; Teologia prática.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, O. M. M. S. A resposta neurofisiológica ao stress. In: LIPP, M. E. N. (Org.). Mecanismos neuropsicofisiológicos do stress: teoria e aplicações clínicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003. p. 25-30.

BOOF, L. Princípio de compaixão e cuidado. Petrópolis: Vozes, 2000.

______. Espiritualidade: um caminho de transformação. São Paulo: Sextante, 2001.

BRITO, E. P. Interação dos ritos e símbolos cristãos com a Terapia Narrativa no acompanhamento pastoral da família recasada. 2005. 251 f. Tese (Doutorado em Teologia) – Escola Superior de Teologia Instituto Ecumênico de Pós-Graduação, São Leopoldo, RS, 2005.

CARTER, B.; MACGOLDRICK, M. As mudanças no ciclo de vida familiar: uma estrutura para a Terapia Familiar. In: WALSH, F.; MACGOLDRICK, M. As mudanças no ciclo de vida familiar. Porto Alegre: Artmed, 1995. p. 373-391.

CLINEBELL, H. J. Aconselhamento pastoral: modelo centrado em crescimento e libertação. São Paulo: Paulinas; São Leopoldo, RS: Sinodal, 1987.

DRANE, J. P. L. Bioética, medicina e tecnologia: desafios éticos na fronteira do conhecimento humano. São Paulo: Loyola; Centro Universitário São Camilo, 2005.

ESPANCA, F. A mensageira das violetas. Porto Alegre: L&PM, 1999.

FÉRES-CARNEIRO, T. Separação: o doloroso processo de dissolução da conjugalidade. Estudos de Psicologia (Natal), v. 8, n. 3, p. 367-374, 2003.

GERALDO, P. J. Adeus. Disponível em: . Acesso em: 06 jul. 2009.

LELOUP, J. Y. Deserto desertos. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

LIPP, M. E. N. O modelo quadrifásico do stress. In: LIPP, M. E. N. (Org.). Mecanismos neuropsicofisiológicos do stress: teoria e aplicações clínicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003. p. 17-22.

MALDONADO, M. T. P. Psicologia da gravidez. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 1985.

MAY, R. A coragem de criar. 10. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1975.

NOWEN, H. Transforma meu pranto em dança. Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2007.

NUNES, S. O. V. Psicoimunologia. In: CONGRESSO SUL-BRASILEIRO DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA, 5., 2007, Curitiba. Anais... Curitiba: [s.n.], 2007. PARKES, C. M. Luto: estudos sobre a perda na vida adulta. 3. ed. São Paulo:

Summus, 1998.

RUPP, J. Rituais de despedida: a espiritualidade da mudança. São Paulo: Loyola, 1996.

SAPOLSKY, R. Assumindo o controle do stress. Viver Mente e Cérebro: Edição Especial – Doenças do Cérebro, n. 5, p. 66-75, 2006.

VAUGHAN, D. A separação: momentos decisivos da vida em comum. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

VIORST, J. Perdas necessárias. São Paulo: Melhoramentos, 1988.

WALSH, F. Fortalecendo a resiliência familiar. São Paulo: Roca, 2005.

WORDEN, J. W. Terapia do luto: um manual para o profissional de saúde mental. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/pp.v2i1.13754

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.