RELIGIÃO E SAÚDE: uma contribuição evangélica

Agemir de Carvalho Dias

Resumo


Este trabalho revisa algumas das pesquisas recentes feitas no Brasil que tratam da relação entre religião e saúde, pensando a questão da saúde a partir da perspectiva da qualidade de vida. Procura correlacionar a contribuição do pensamento teológico para o desenvolvimento de uma práxis religiosa que beneficia a saúde, com ênfase em uma vivência de fé, esperança e amor. Através do resgate da perspectiva humanista das igrejas evangélicas, analisa como a prática dessas instituições contribui para hábitos que beneficiam a qualidade de vida. Problematiza as ênfases dadas por alguns segmentos das igrejas evangélicas sobre a necessidade de evitar atitudes potencialmente prejudiciais à saúde, e de praticar atitudes que colaboram para a melhoria da qualidade de vida, propondo o desenvolvimento de uma teologia baseada no serviço diaconal. Conclui que a crítica da prática eclesial é uma tarefa teológica, e que o diálogo da teologia com as ciências da saúde é fundamental para a melhoria da qualidade de vida da população.

Palavras-chave


Saúde; Religião; Qualidade de vida; Teologia; Evangélicos.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, H. O que é política? Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

BOFF, L. Espiritualidade: um caminho de transformação. Rio de Janeiro: Sextante, 2001.

CALVINO, J. Institución de la religión cristiana. Países Bajos: Fudación Editorial de Literatura Reformada, 1968.

CERQUEIRA-SANTOS, E.; KOLLER, S. H.; PEREIRA, M. T. L. N. Religião, saúde e cura: um estudo entre neopentecostais. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 24, n. 3, p. 82-91, 2004.

DANTAS, C. R.; PAVARIN, L. B.; DALGALARRONDO, P. Sintomas de conteúdo religioso em pacientes psiquiátricos. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 21, n. 3, 1999. Disponível em: . Acesso em: 5 ago. 2009.

DIAS, A. C. O Papel educador do ecumenismo: o caso da igreja presbiteriana do Brasil. 2003. 142 f. Dissertação (Mestrado em Educação, Arte e História da Cultura) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2003.

DIAS, A. C.; FERREIRA, V. A. Sociedade evangélica beneficente (SEB): movimento de cooperação entre igrejas evangélicas no Paraná. História. Questões e Debates, v. 43, p. 123-146, 2005.

DOUMA, J. Contribution protestante à la réflexion sur la bioéthique. La Revue

Reformée. n. 215, 2001. Disponível em: . Acesso em: 5 ago. 2009.

FLECK M. P. A. et al. Desenvolvimento da versão em português do instrumento de avaliação de qualidade de vida da OMS (WHOQOL-100). Revista Brasileira de

Psiquiatria, v. 21, n. 1, p. 19-28, 1999 .

______. Desenvolvimento do WHOQOL, módulo espiritualidade, religiosidade e crenças pessoais. Revista de Saúde Pública, v. 37, n. 4, p. 446-455, 2003.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL – IPB. Confissão de fé de Westminster. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2008.

KÜNG, H. Teologia a caminho: fundamentação para o diálogo ecumênico. São Paulo: Paulinas, 1999.

LOTUFO NETO, F. Psiquiatria e religião: a prevalência de transtornos mentais entre ministros religiosos. 1997. 376 f. Tese (Doutorado em livre-docência) – Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 1997.

MELO, Z. M. et al. Família, álcool e violência em uma comunidade da cidade do Recife. Psicologia em Estudo, v. 10, n. 2, p. 201-208, 2005.

NASCIMENTO, J. M. O evangelho segundo a pastoral da criança: por uma pedagogia da sobrevivência. 2006. 266 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2006.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE – OMS. Versão em português dos instrumentos de avaliação de qualidade de vida (WHOQOL). 1998. Disponível em: < http://www.ufrgs.br/Psiq/whoqol1.html>. Acesso em: 10 nov. 2008.

RIBEIRO, M. A. D. Ellen White e a saúde na cosmovisão Adventista. 2006. 143 f. Dissertação (Mestrado Ciências da Religião) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2006.

ROSA, P. V. Estudo sobre os fatores associados à depressão em idosos da comunidade de Barra Funda – RS, Brasil. 2007. 79 f. Tese (Doutorado em Gerontologia Biomédica) –Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

SOUSA, P. L. R. et al. A religiosidade e suas interfaces com a medicina, a psicologia e a educação: o estado da arte. Psiquiatria na Prática Médica, v. 34, n. 4, p. 112-117, 2001.

TILICH, P. Teologia sistemática. São Paulo: Paulinas; São Leopoldo, RS: Sinodal, 1984.

VALLA, V. V. Pobreza, emoção e saúde: uma discussão sobre pentecostalismo e saúde no Brasil. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 63-75, 2002.

VOLCAN, S. M. A. et al. Relação entre bem-estar espiritual e transtornos psiquiátricos menores: estudo transversal. Revista de Saúde Pública, v. 37, n. 4, p. 440-445, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/pp.v2i1.13724

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.