Enfraquecimento da ideia de Deus e de homem na pós-modernidade

Paulo Sérgio Carrara

Resumo


A modernidade descobre a razão a e a torna referência absoluta. A razão critica a fé cristã, considerando-a uma forma de saber religioso e supersticioso da realidade, destinada a desaparecer com o advento das explicações científicas. Mas a modernidade deixa lugar para a metafísica e o discurso sobre Deus encontra apoio em algumas filosofias. A pós-modernidade, por sua vez, se caracteriza por um subjetivismo que desacredita a razão e leva ao niilismo
e relativismo. Questiona a ideia de verdade e se alicerça na hermenêutica, desconsiderando Deus como horizonte possível de sentido. O presente artigo tem como escopo mostrar como a passagem da modernidade para a pós-modernidade provocou o enfraquecimento da ideia de Deus, cuja consequência mais evidente se manifesta no declínio da ideia de homem. O artigo quer mostrar algumas características mais marcantes da realidade atual para evidenciar o urgente desafio do resgate da ideia de Deus e do homem.


Texto completo:

PDF

Referências


BRUNI, G. Dire Dio agli uomini d’oggi. Linee di discussione. In: Poupard, P. Parlare di Dio all’uomo postmoderno. Roma: Città Nuova, 1994. p. 23-37.

CARRARA, P. S. Itinerarium mentis in Deum per nihilum: O niilismo como desafio ao cristianismo. Revista Perspectiva Teológica, Belo Horizonte, v. 44, n. 122, p. 53-68, 2012.

CASTIÑEIRA , A. La experiencia de Dios en la postmodernidad. Madrid: PPC, 1992.

COMBLIN, J. Vocação para a liberdade. São Paulo: Paulus, 1998.

GUIGNON, C. B. Martin Heidegger. In: AUDI, R. The Cambridge dictionary of philosophy. Cambridge: Cambridge Press, 2001. p. 370-373.

HEIDEGGER, M. Marcas do caminho. Petrópolis: Vozes, 2008.

LAKELAND, P. Post Modernity: Christian identity in a fragmented age. Minneapolis: Fortress Press, 1997.

LAUDAZI, C. L’uomo nel progetto di Dio. In: MORICONI, B. Antropologia cristiana: Bibbia, teologia, cultura. Roma: Città Nuova, 2001. p. 261-333.

LIMA VAZ, H. C. de. Experiência mística e filosofia na tradição ocidental. Loyola: São Paulo, 2009.

MAGNUS, B. Postmodern. In: AUDI, R. The Cambridge dictionary of philosophy. Cambridge: Cambridge Press, 2001. p. 725-726.

MARTONE, A. Un’etica del nulla: Libertà, esistenza, politica. Napoli: Liguori, 2001.

MORRA, G. Dio senza Dio: Fenomenologia e esperienza religiosa. Roma: Japadre, 1989.

MUCCI, G. L’assenza di Dio nel postmoderno. Revista Civiltà Cattolica, Roma, n. 2, 2002, p. 543-551.

NIETZSCHE, F. Vontade de potência. Petrópolis: Vozes, 2001.

POSSENTI, V. Terza navigazione: Nichilismo e metafisica. Roma: Armando, 1998.

SANNA, I. Antropologia cristiana tra modernità e postmodernità. Brescia: Queriniana, 2001.

SHACHT, R. Nietzsche. In: AUDI, R. The Cambridge dictionary of philosophy. Cambridge: Cambridge Press, 2001. p. 613-616.

SHUGA, H. Wittgenstein. In: AUDI, R. The Cambridge dictionary of phisosophy. Cambridge: Cambridge Press, 2002. p. 976-980.

TREMBLAY, R. Radicati e fondati nel Figlio: Contributi per una morale di tipo filiale. Roma: Dehoniane, 1997.

VALADIER, P. Crise da racionalidade, crise da religião. Revista Perspectiva Teológica, Belo Horizonte, v. 45, n. 126, p. 283-300, 2013.

VELASCO, J. M. Ser cristiano en una cultura posmoderna. Madrid: PPC 1996.

VATTIMO, G. La società trasparente. Milano: Garzanti, 2000a.

VATTIMO, G. El fin de la modernidade: Nihilismo e hermenéutica en la cultura posmoderna. Barcelona: Gedisa, 2000b.

VOLPI, F. O niilismo. São Paulo: Loyola, 1999.

WITTGENSTEIN, L. Investigações filosóficas. Petrópolis: Vozes, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/pp.v8i3.1357

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.