Força muscular isocinética dos extensores do joelho em indivíduos com doença de Parkinson

Elisa Dornelas Borges, Michel Santos Silva, Martim Bottaro, Ricardo Moreno Lima, Nasser Allam, Ricardo Jacó de Oliveira

Resumo


Introdução: Apesar do tremor, bradicinesia e rigidez serem os sintomas motores clássicos da doença de Parkinson (DP), a fraqueza muscular também tem sido apontada como um dos mais importantes sintomas motores associados a essa doença, porém, essa condição ainda é pouco estudada e os resultados são incon¬sistentes. Objetivos: O presente estudo teve o propósito de comparar a força muscular do quadríceps entre indivíduos portadores de DP e indivíduos neurologicamente saudáveis pareados por idade e gênero. Foi com¬parada também a força muscular do membro mais acometido e menos acometido pela doença. Materiais e métodos: Participaram deste estudo 26 voluntários, 13 do grupo Parkinson (GP: 64,08 ± 6,87 anos; 73,82 ± 13,03 Kg; 1,66 ± 0,07m;) e 13 do grupo controle (GC: 62,73 ± 6,42 anos; 79,46 ± 11,40 kg; 1,71 ± 0,07 m). Foi mensurado o pico de torque (PT) dos extensores do joelho por meio da dinamometria isocinética, na velocidade de 90°.s-1. Foi utilizado o teste t para comparar as médias intra e entre os grupos (p < 0,05). Resultados: O PT absoluto foi significativamente menor no GP (119,29 ± 40,06 N.m) quando comparado ao GC (145,15 ± 20,05 N.m). Entre os indivíduos com DP, foram encontrados valores significativamente inferio-res de força muscular do membro mais acometido quando comparado com o menos acometido (119,29 ± 40,06 N.m vs. 128,86 ± 35,56 N.m; p < 0,05). Conclusão: Com base nos resultados, conclui-se que portadores da DP apresentam reduzido PT isocinético dos extensores do joelho, sendo esses achados exacerbados no membro mais acometido pela doença.

Texto completo:

PT EN


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-51502013000400009

Apontamentos

  • Não há apontamentos.