Facilidades e habilidades do fisioterapeuta na procura, interpretação e aplicação do conhecimento científico na prática clínica: um estudo piloto

Priscyla Silva Queiroz, Marcio José dos Santos

Resumo


Introdução: A procura e interesse em aplicar conhecimento científico à prática fisioterapêutica tem crescido nos últimos anos. Na busca por integrar as experiências individuais vivenciadas na prática com a melhor evidência clínica disponível a partir de pesquisas sistemáticas, surge a Prática Baseada em Evidência (PBE), movimento científico que vem ganhando força na área da saúde. Entretanto, muito pouco se sabe se o Fisioterapeuta clínico conhece e utiliza o PBE nos seus atendimentos. Objetivo: Averiguar se os profissionais fisioterapeutas têm facilidade e habilidade em buscar literatura científica e se eles baseiam-se na PBE durante sua prática clínica. Métodos: Foi realizado um estudo descritivo, com abordagem quantitativa. Participaram do estudo 67 profissionais fisioterapeutas, atuantes na região da Grande Florianópolis, que responderam um questionário online adaptado a partir do Evidence-Based Practice (EBP) Questionnaire. Resultados: A amostra consistiu em fisioterapeutas jovens, em uma faixa de idade entre 20 e 29 anos, havendo forte predominância do sexo feminino. Desses, 73,1% dos concluíram a graduação a menos de 5 anos e 71,6% não possuem especialidade reconhecida pelo CREFITO. Os fisioterapeutas afirmaram ter uma atitude positiva sobre PBE e estavam interessados em aprender ou aprimorar as competências necessárias para implementar PBE. Eles notaram que precisavam aumentar o uso da evidência científica em suas práticas diárias. A falta de tempo, como em outros estudos, foi a barreira mais importante para o uso da PBE, seguida da falta de generalização dos achados da literatura científica para sua população de pacientes e falta de fontes de informação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-51502013000100002

Apontamentos

  • Não há apontamentos.