Exercício resistido em idosos frágeis: uma revisão da literatura

Lucas Caseri Câmara, Carina Corrêa Bastos, Esther Fernandes Tinoco Volpe

Resumo


Introdução: A síndrome da fragilidade, bastante comum em pessoas de idade avançada, consiste em um conjunto de sinais e sintomas no qual estão presentes critérios como perda de peso corporal não intencional em um ano (aproximadamente 5%), diminuição na velocidade da marcha, níveis baixos de atividade física,exaustão subjetiva e diminuição de força muscular. Os consequentes efeitos dessas mudanças relacionadas à idade, que incluem sarcopenia, disfunção imunológica e desregulação neuroendócrina, aumentam a vulnerabilidade do organismo ao estresse, reduzindo a habilidade de adaptar, compensar ou modular esses estímulos.Diferentes intervenções têm sido propostas para atenuar esse processo, sendo o exercício resistido(ER) uma das opções estudadas. Objetivo: Realizar uma revisão bibliográfica averiguando os efeitos dos ER na fisiopatologia da síndrome da fragilidade. Materiais e métodos: Foi realizada uma revisão bibliográfica do período de 2004 a 2010, por meio das bases de dados LILACS, MEDLINE e PubMed. Resultados: Por meio das análises dos estudos, foram observadas alterações nos sistemas hormonal e imune, atuando de forma sistêmica na reversão ou minimização dos efeitos da sarcopenia exercendo influência positiva na síndrome da fragilidade. Conclusão: O ER deve ser indicado como opção terapêutica para idosos frágeis ou pré-frágeis que não apresentem contra indicações para realização desta modalidade de exercício.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-51502012000200021

Apontamentos

  • Não há apontamentos.