Teste de força de preensão manual: análise metodológica e dados normativos em atletas

Alex de Andrade Fernandes, João Carlos Bouzas Marins

Resumo


Introdução: Diferentes modalidades esportivas utilizam as mãos como importante seguimento corporal envolvido para o desempenho. Entre essas modalidades destacam-se judô, tênis, vela, remo, boxe, levantamento de peso e outras. A força de preensão manual é exigida nessas modalidades específicas, em que o nível de força gerado pode ser o diferencial no desempenho final. A dinamometria manual é um valioso instrumento a ser utilizado na detecção do talento esportivo, no controle do treinamento e na avaliação de recuperação de lesão. Objetivos: O objetivo deste estudo é fazer uma revisão sobre os principais aspectos metodológicos envolvidos na mensuração da força de preensão manual, utilizando o dinamômetro Jamar®, identificando os aspectos relacionados à validade, confiabilidade, precisão, posição para realização do teste, posição da alça, instruções, número de medidas, período de descanso entre as tentativas, duração do tempo de contração, aquecimento pré-teste. Materiais e métodos: Foi realizado um levantamento para compor uma base de dados de diferentes modalidades olímpicas: coletivas e individuais. Foi realizada uma pesquisa eletrônica da literatura utilizando as bases de dados MEDLINE, SciELO e LILACS, sendo utilizados os seguintes descritores: força de preensão manual, dinamometria manual e, em inglês, hand, grip, strength, dynamometer, Jamar, norms e reference values. Conclusão: Os valores de força de preensão manual apresentados pelos atletas diferem de acordo com a modalidade, sexo, peso corporal, nível do atleta, idade e tipo de treinamento. A força de preensão manual deve estar presente nas baterias de testes para identificação de possíveis talentos esportivos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-51502011000300021

Apontamentos

  • Não há apontamentos.