Prevalência de sintomas osteomusculares em professores de escolas públicas e privadas do ensino fundamental

Jerônimo Costa Branco, Felipe Guido e Silva, Karen Jansen, Patrícia Haertel Giusti

Abstract


Introdução: Diante da preocupação com a saúde e as condições de trabalho dos professores, este trabalho objetivou verificar a prevalência de sintomas osteomusculares em professores do ensino fundamental de escolas públicas e privadas. Métodos: A amostra foi composta por 320 professores de seis escolas. Para realização da pesquisa, utilizou-se um questionário sócio-demográfico, um check-list para avaliação ergonômica do local de trabalho, e o questionário nórdico para avaliar os sintomas osteomusculares. Para análise dos dados utilizou-se o programa SPSS 13.0. Resultados: Dos participantes, 89,7% referiram algum sintoma nos últimos 12 meses. As áreas mais acometidas por estes sintomas foram: coluna dorsal 54,1% (173), pescoço 50,9% (163) coluna lombar 49,1% (157). Os sintomas impossibilitaram 36,6% dos professores de exercer suas atividades normais. Observou-se também que a condição ergonômica do local de trabalho é considerada ruim pelos professores. Conclusão: Concluímos que a prevalência de sintomas osteomusculares nos professores é alta e as condições ergonômicas são consideradas inapropriadas podendo interferir diretamente na saude dos professores.



DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-51502011000200012

Refbacks

  • There are currently no refbacks.