A CORRELAÇÃO ENTRE HIPERMOBILIDADE ARTICULAR E ESCOLIOSE IDIOPÁTICA EM MULHERES

Thatiana Moreira de Paiva, Tânia Cristina Dias da Silva

Resumo


INTRODUÇÃO: A escoliose é o termo utilizado para denominar qualquer curvatura lateral da coluna, em uma vista antero-posterior. Trata-se de uma condição de caráter progressivo da coluna vertebral. Em cerca de 80% dos casos não possuem causa aparente, caracterizando a escoliose idiopática. A hipermobilidade é considerada como um movimento anormal da articulação, tendo como causa primária a frouxidão ligamentar. Isso é determinado pelos genes que codificam o colágeno, a elastina e a fibrina.
OBJETIVOS: Esse trabalho teve como objetivo avaliar a correlação entre a hipermobilidade articular e a escoliose idiopática. METODOLOGIA: Foram selecionadas 16 mulheres com idade média de 23,56 anos, portadoras de escoliose idiopática toraco-lombar em S, e 11 mulheres sem escoliose, com idade média de 24,73 anos. Todas foram submetidas ao exame radiológico em incidência anteroposterior em ortostatismo e avaliadas quanto à presença de frouxidão ligamentar através dos testes de hipermobilidade de Carter & Wilkinson (1964) modificados por Beighton & Horan (1969). Foi utilizado o teste U de Mann Whitney (p < 0,05) para comparar a pontuação total obtida entre os dois grupos, e o teste Qui-Quadrado para comparar a pontuação de cada articulação entre os grupos. RESULTADOS: A pontuação média encontrada no grupo com escoliose foi de 4,19 pontos, e no grupo sem escoliose 1, 91, em relação a todas as articulações. CONCLUSÃO: Comprovou-se estatisticamente a correlação entre a hipermobilidade analisada no polegar e a presença de escoliose.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.