TERAPIA DE RESTRIÇÃO E INDUÇÃO MODIFICADA DO MOVIMENTO EM PACIENTES HEMIPARÉTICOS CRÔNICOS: um estudo piloto

Giedre Della Piazza Bueno, Adélia Correia Lúcio, Telma Dagmar Oberg, Enio Walker Azevedo Cacho

Resumo


Este estudo avalia a eficiência da terapia de restrição e indução modificada do movimento na recuperação motora e funcional do membro superior comprometido de pacientes hemiparéticos. Foram selecionados oito sujeitos com Acidente Vascular Encefálico crônico, avaliados por meio dos seguintes instrumentos de medida: secção do membro superior da escala de desempenho físico de Fugl-Meyer, teste de habilidade motora do membro superior e medida de independência funcional em quatro momentos. Os indivíduos foram submetidos à restrição do membro superior não comprometido durante cinco horas diárias, por quatro semanas consecutivas, incluindo duas sessões de fisioterapia por semana. Para comparar os escores entre os quatro momentos da coleta, foi utilizado o teste de Friedman, observando diferenças entre os momentos, foi realizado o teste de Wilcoxon. Os resultados demonstraram melhoras significativas (p<0.05) nas pontuações da Fugl-Meyer e no Teste de habilidade motora do membro superior mais comprometido e retenção da melhora após 30 dias. A terapia de restrição e indução modificada do movimento produz uma melhora no comprometimento motor e funcional do membro superior comprometido de pacientes hemiparéticos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.