TESTE DE CAMINHADA EM ESTEIRA: distância percorrida, comportamento metabólico e ventilatório

Kamilla Tays Marrara, Diego Marmorato Marino, Valéria Amorim Pires Di Lorenzo, Maurício Jamami

Resumo


INTRODUÇÃO: O teste de caminhada de seis minutos (TC6) em esteira tem sido utilizado em vários estudos como instrumento de avaliação da capacidade funcional de indivíduos com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). OBJETIVOS: Comparar a distância percorrida (DP), consumo de oxigênio (VO2) e demanda ventilatória (VE/VVM) no TC6 em esteira rolante entre indivíduos saudáveis e com DPOC. MATERIAL E MÉTODOS: Foram avaliados 44 indivíduos do sexo masculino dos quais 23 são saudáveis (Grupo S-GS, idade média de 67±3,6anos) e 21 com DPOC (obstrução moderada a grave (30%£volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1)<80%; Grupo MG-GMG; 69±5,3anos)) quanto as variáveis DP, VO2 e VE/VVM durante o TC6 em esteira rolante com velocidade fixa pré-determinada. RESULTADOS: A DP apresentou-se significativamente maior (Mann-Whitney, p<0,01) no GS (393,6±97,6m) comparado ao GMG (248,3±73,1m). O VO2 não demonstrou diferença significativa entre GS e GMG, respectivamente (1,48±0,4L/min vs 1,39±0,48L/min). A VE/VVM apresentou-se significativamente maior no GMG (38,4±18,1%; 74,1±20,7%) comparada ao GS (7,6±3,8%; 25,6±10,6%) nas situações basal e pico do teste, respectivamente. CONCLUSÃO: De acordo com os resultados obtidos neste estudo concluise que o método para a realização do TC6 em esteira rolante com velocidade fixa desencadeou elevado requerimento ventilatório e menor tolerância ao exercício físico com VO2 semelhante em indivíduos com DPOC quando comparados aos indivíduos saudáveis, mostrando limitações para sua realização, além de não retratar uma atividade física da vida diária.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.