RELAÇÃO DA SÍNDROME DO PIRIFORME E DA DOR ISQUIÁTICA NA AVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA

Elaine Cristina Pravato, Jeferson Francisco da Silva, Andrea Marques Berbel

Resumo


INTRODUÇÃO: Síndrome do piriforme é a irritação do nervo isquiático, quando ele passa abaixo ou entre as fibras do músculo piriforme. Uma das causas que levam à síndrome é a variação anatômica entre este nervo e músculo. Dor isquiática é dor que ocorre no trajeto do nervo isquiático. A causa mais comum no indivíduo adulto é compressão de uma das 5 raízes dele, por hérnia de disco intervertebral na região da coluna lombar. O objetivo deste estudo de revisão bibliográfica é analisar a relação anatômica do nervo isquiático com o músculo piriforme e comparar a sintomatologia entre síndrome do piriforme e dor isquiática, durante avaliação fisioterapêutica. MATERIAIS E MÉTODO: Levantamento bibliográfico, por meio de livros, artigos científicos e banco de dados especializados para a aquisição destes periódicos e sites de internet. RESULTADOS: A variação anatômica mais comum é o nervo fibular comum perfurar o músculo piriforme e o nervo tibial passar inferiormente ao músculo piriforme. Os sintomas da síndrome do piriforme são dor profunda no quadril e nádega, irradiada para o membro inferior afetado, acentuando-se ao deitar-se. Os sintomas da dor isquiática são dor superficial e localizada na região lombar e/ou na nádega, irradiada para o membro inferior afetado, com distribuição do dermátomo. Esta dor melhora quando o indivíduo CONSIDERAÇÕES FINAIS: Variações anatômicas do nervo isquiático com o p merúmscaunleoc pe idriefiotardmoe. contribuem para síndrome do piriforme. O teste de AIF (adução, rotação interna e flexão do quadril) será positivo para a síndrome do piriforme, durante a avaliação fisioterapêutica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.