TRAUMATISMO RAQUI-MEDULAR INFANTIL

Débora Goulart, Deborah Colucci Trevisan, Alberto Cliquet Júnior, Daniela Cristina Carvalho de Abreu

Resumo


A lesão medular infantil apresenta um índice de incidência menor comparado ao adulto, entretanto, a compreensão dos problemas secundários que podem ocorrer após a lesão e suas formas de prevenção é de extrema importância para evitar que a criança fique debilitada em plena fase de crescimento e desenvolvimento. A compreensão das diferenças entre a lesão medular em adultos e crianças ajudará o fisioterapeuta a ser mais efetivo em seu trabalho, a fim de estimular o maior grau possível de independência da criança. O objetivo desta revisão da literatura é elucidar os problemas ocorridos pelo traumatismo raqui-medular infantil e como a Fisioterapia deve atuar para beneficiar o desenvolvimento e o aumento da independência das crianças, melhorando a qualidade de vida a curto e a longo prazos. Para a realização do levantamento bibliográfico, foram consultadas as bases de dados Pubmed, Scielo, Lilacs e Medline, referentes às publicações dos últimos 17 anos. Os estudos mostraram que a fisioterapia auxilia na manutenção ou melhora da integridade articular, óssea e da pele, da função intestinal e vesical, normalização do tônus, melhora do condicionamento cardiorrespiratório, aumento da independência e da capacidade de realização das atividades da vida diária, a fim de resultar em uma vida adulta mais produtiva e satisfatória na sociedade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.