ANÁLISE DA MARCHA EM CRIANÇAS PORTADORAS DE SÍNDROME DE DOWN E CRIANÇAS NORMAIS COM IDADE DE 2 A 5 ANOS

Alisson Guimbalados Santos Araujo, Cláudia Mara Scartezini, Ruy Jornada Krebs

Resumo


Os estudos das crianças e jovens com Síndrome de Down seguem as mesmas tendências das crianças com desenvolvimento normal. Essa síndrome é decorrente de um erro genético, sendo a mais comum no Brasil, não existindo uma incidência exata da população acometida, pois a trissomia do cromossoma 21 é a que mais acomete essa população. Essas crianças apresentam hipotonia, atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, crescimento físico lento, atraso nas aquisições de marcos motores básicos e dificuldades de adaptação social. O objetivo do trabalho foi analisar o comprometimento dos padrões motores da marcha em crianças com a síndrome. A pesquisa é descritiva do tipo estudo de caso, sendo que as amostras foram formadas por 5 crianças portadoras da síndrome e 5 não portadoras, com idade entre 2 a 5 anos e subseqüentemente divididas em grupo experimental (com a síndrome) e grupo controle (sem a síndrome), formando-se os grupos pela técnica estatística de pareamento “meatching pairs”. Como instrumento, utilizou-se a matriz dos padrões de movimento da caminhada descrita por Gallahue. Nos resultados apresentados, observou-se que as crianças com síndrome tiveram uma média de idade de 51 meses e as crianças não portadoras 53 meses. A idade média do andar ficou em 23 meses. Concluiu-se, após a realização deste estudo, que as crianças com Síndrome de Down apresentaram padrões de movimento de marcha atrasado em relação às crianças com desenvolvimento normal, mesmo que estas tenham sido estimuladas precocemente.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.