FISIOTERAPIA NO ENFRENTAMENTO DE PERDAS EM PACIENTES COM DOENÇAS NEUROLÓGICAS

Cíntia Raquel Bim, Maria Dalva B Carvalho, Sandra Marisa Pelloso

Resumo


As doenças neurológicas são comuns em nosso meio e, muitas vezes, trazem limitações ao indivíduo, quando não, são progressivas e submetem o indivíduo ao enfrentamento diário de perdas, que culminam na finitude da vida dele. A abordagem de temas como perdas e luto antecipatório ainda é pouco difundida entre os profissionais fisioterapeutas. O presente trabalho procurou compreender o processo de reestruturação frente à crise do adoecer e a participação no tratamento, a experiência em relação às vivências de perdas e ao trabalho do profissional fisioterapeuta. Este é um estudo qualitativo que, por meio da realização de uma entrevista semi-estruturada com seis pacientes neurológicos, pretendeu compreender a vivência de pacientes neurológicos frente às suas perdas, e conseqüentemente, o enfrentamento delas. As respostas obtidas foram agrupadas em seis categorias de análise: não ter ciência sobre o problema, difícil aceitação do diagnóstico, as atividades básicas são as maiores dificuldades, a adaptação às perdas é um processo, esperança de melhora, a fisioterapia auxilia no enfrentamento das perdas. Apesar de os entrevistados apresentarem quadros clínicos diversos (Doença de Parkinson, Esclerose Múltipla, Atrofia muscular espinhal e Lesão medular traumática), o reconhecimento dos benefícios que a Fisioterapia proporciona foi unânime. Os relatos desta pesquisa nos permitem considerar que a Fisioterapia ajuda os pacientes neurológicos no enfrentamento de suas perdas, especialmente as perdas físicas. A Fisioterapia paliativa deve ser mais discutida, para que seja desenvolvida de forma adequada.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.