EXERCÍCIOS RESPIRATÓRIOS NA EXPANSIBILIDADE TORÁCICA DE IDOSOS: exercícios aquáticos e solo

Maiza Ritomy Ide, Fátima Aparecida Caromano, Marize Angélica Vicentini Belini Dip, Marcelo Renato Guerino

Resumo


Introdução: O envelhecimento desencadeia uma série de alterações fisiológicas no indivíduo, como a redução na mobilidade da caixa torácica. Os exercícios respiratórios são muito utilizados pela Fisioterapia, embora pouco se saiba sobre seus efeitos em idosos saudáveis e envolvendo o meio aquático. Objetivos: Avaliar os efeitos de um programa de exercícios respiratórios na expansibilidade torácica de idosos saudáveis, bem como verificar os efeitos do meio de realização (aquático ou não aquático) sobre ele. Metodologia: Os 59 indivíduos, com idades entre 60 e 65 anos, foram submetidos à avaliação da expansibilidade torácica por meio da cirtometria realizada em dois níveis (axilar e xifoídeo) e randomizados em três grupos (n=27 cada grupo). O Gágua (n=19) participou de um programa de exercícios respiratórios em ambiente aquático. O Gsolo (n=19) realizou o mesmo programa em solo. O Gcontrole (n=21) atuou como controle. Os programas foram aplicados três vezes por semana, por dez semanas consecutivas. O teste t-pareado foi utilizado para comparar os resultados intragrupo, pré e pós-teste. A comparação entre os grupos foi realizada pelo teste t Student. Resultados: Os grupos Gágua e Gcontrole apresentaram melhora estatisticamente significativa na expansibilidade torácica em ambos os níveis estudados. O Gsolo não apresentou alteração estatisticamente significativa em nenhum dos níveis. A melhora apresentada pelo Gágua não foi significativa quando comparada à melhora do grupo controle. Conclusões: O programa de exercícios respiratórios proposto apresenta melhores resultados se desenvolvido em meio aquático. Entretanto, não se pode afirmar que melhore a expansibilidade torácica, independente do meio de realização.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.