FISIOTERAPIA NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA: UMA REVISÃO E DISCUSSÕES SOBRE A INCLUSÃO

SS Castro, G Cipriano Junior, A Martinho

Resumo


Desde o seu surgimento, o Programa Saúde da Família (PSF) tem um caráter multidisciplinar, entretanto, agregando inicialmente somente médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes de saúde. Essa característica multidisciplinar deve proporcionar ampla abrangência dos serviços de saúde sobre o processo patológico, respondendo à necessidade crescente de uma abordagem diferenciada da questão da doença. Além disso, pode permitir à equipe ter opiniões de diferentes profissionais voltadas à resolução do mesmo problema. No entanto, a composição inicial teve como principal problema a não inclusão de diversos outros profissionais de saúde, que há muito participam dos processos preventivos e curativos frente à população. Assim, outros profissionais de saúde estão sendo vagarosamente inseridos no PSF para garantir o bom atendimento e a satisfação da população com relação aos serviços de saúde, porém sem um adequado planejamento. Citam-se, como exemplos de recém-agregados ao PSFm o odontólogo, o psicólogo e o farmacêutico. Entretanto, para assegurar o cumprimento dos preceitos do SUS de resolutividade e integralidade, abordaremos a inclusão do profissional fisioterapeuta, o qual indubitavelmente deveria fazer parte do PSF, uma vez que é o principal profissional envolvido no processo de reabilitação das patologias, reabilitação que, pela Constituição Federal, é direito dos cidadãos brasileiros e dever do Estado. No entanto, essa inserção deve ser feita de maneira planejada, para que o fisioterapeuta tenha condições de exercer seu papel na saúde de maneira adequada e completa.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.