AMPLITUDE DE MOVIMENTO ARTICULAR E QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE DE PORTADOR DE ARTRITE IDIOPÁTICA JUVENIL SUBMETIDO À FISIOTERAPIA AQUÁTICA

Adriana Menezes Degani, Patricia de Souza Villa

Resumo


Objetivando a melhora da qualidade de vida de portadores de Artrite Idiopática Juvenil (AIJ), o presente estudo aplicou um programa de 3 sessões semanais de exercícios aquáticos terapêuticos por 12 meses
(subdividido em 3 fases) em uma voluntária portadora de AIJ. Foram realizadas avaliações, antes e após 12 meses de intervenção, da amplitude de movimento articular (ADM) por goniometria e pelo escore da
Pediatric EPM-ROM Scale, além da avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) utilizando o questionário Medical Outcomes Study Short-form 36. Houve aumento da ADM na maioria das articulações
avaliadas e melhora nos índices de QVRS, a saber, capacidade funcional, aspecto físico, dor, estado geral de saúde, vitalidade, aspecto social e saúde mental. Sendo a fisioterapia aquática a única forma de terapia
instituída além da medicamentosa, pode-se concluir que a redução da dor e da dificuldade nas atividades de vida diária, e a melhora da ADM associadas à melhora na QVRS da participante deveu-se ao programa
proposto.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.