ANÁLISE DO EFEITO DO ULTRA-SOM NO EDEMA INFLAMATÓRIO AGUDO – ESTUDO EXPERIMENTAL

Andréa Dellú Franco, Linara E Pereira, Mônica Groschitz, Flávio Aimbire, Rodrigo Álvaro Brandão Lopes Martins, Regiane Albertini de Carvalho

Resumo


O edema constitui um dos quatro sinais clássicos da inflamação aguda, além do calor, rubor e dor. Trata-se de excesso de líquido no tecido intersticial ou nas cavidades serosas, formado pelo aumento da permeabilidade na microcirculação. A literatura não elucida acerca da aplicação de ultra-som em casos de edema. O objetivo desse trabalho foi de avaliar o efeito do ultra-som terapêutico no edema inflamatório,
utilizando o modelo clássico de edema de pata em ratos. A indução do edema foi feita através de uma injeção subplantar de carragenina (1mg/pata), sob anestesia com halotano. O volume da pata foi medido
imediatamente antes da injeção e após, com intervalos de uma hora, num total de quatro horas, utilizando um hidropletismômetro. O tratamento foi feito com aplicação do ultra-som de modo pulsado, com freqüência
de 3 MHz, com intensidade de 0,3W/cm2, durante dois minutos. O cálculo do edema foi feito pela diferença entre o volume inicial da pata (antes da injeção do agente inflamatório) e o volume a cada hora. Os resultados
foram expressos como variação do volume da pata (ml) e não apresentaram redução ou aceleração da formação do edema. Concluímos que a aplicação do ultra-som com os parâmetros utilizados, tanto com a
técnica de contato direto quanto com a subaquática, não apresentaram resultados terapêuticos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.