TRATAMENTO DE TERAPIA VIBRATÓRIA EM PACIENTES COM ESPASTICIDADE

Rodrigo Lício Ortolan, Graziela Saraiva Reis, Lúcia Souza Magro, Paulo Umeno Koeke, Nivaldo Antônio Parizotto, Alberto Cliquet Jr.

Resumo


O propósito deste trabalho foi avaliar os efeitos da terapia vibratória na diminuição da espasticidade. Foram estudados oito voluntários que haviam sofrido acidente vascular cerebral (AVC) e apresentavam espasticidade. A evolução dos voluntários foi analisada por eletromiografia e medida de amplitude do movimento. Os resultados obtidos revelam que os valores do sinal da média da raiz quadrada (RMS), no final do tratamento, foram maiores do que os valores iniciais, e os valores finais da Freqüência Mediana (FME) foram menores do que os iniciais. Apesar da resposta eletromiográfica apresentar resultados contraditórios, ficou evidente que o tratamento foi benéfico, pois a amplitude do movimento aumentou significativamente, resultando no decréscimo da espasticidade e melhora do controle motor, conforme relatos dos pacientes.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.