TEORIA, PRÁTICA E REALIDADE SOCIAL: UMA PERSPECTIVA INTEGRADA PARA O ENSINO DE FISIOTERAPIA

RV Maciel, PTG Silva, RF Sampaio, AF Drummond

Resumo


Este trabalho teve como objetivo refletir sobre as possibilidades de intervenção da Fisioterapia na atenção primária à saúde, rompendo com a prática do profissional historicamente centrada em ações curativas. Em geral, os currículos oferecidos pelos cursos de graduação em Fisioterapia no país estão muito voltados para práticas hospitalares e ambulatoriais valorizando a reabilitação em detrimento aos novos modelos assistenciais. A atuação do fisioterapeuta não se restringe somente ao campo curativo e de reabilitação. As ações de prevenção e educação em saúde são fundamentais para propiciar a melhora da qualidade de vida da população e as intervenções fisioterapêuticas no atendimento domiciliar podem produzir um impactopositivo na relação do paciente com o meio, tanto físico quanto social. Tendo como proposta a superação do modelo tradicional de formação dos fisioterapeutas, o curso de Fisioterapia da UFMG oferece estágio em Unidades Básicas de Saúde para o aluno do último período do curso. Nessas unidades, o aluno tem a oportunidade de vivenciar um trabalho com profissionais inseridos no Programa de Saúde da Família (PSF).Este trabalho foi desenvolvido no Centro de Saúde São Gabriel (CSSG), no município de Belo Horizonte, onde foi aplicado um protocolo para cadastramento e monitoramento dos usuários impossibilitados de se dirigirem ao Centro de Saúde. Após o levantamento das informações, foram realizadas reuniões com as equipes do PSF e oficinas que possibilitaram aos alunos e supervisor de estágio, refletirem sobre as possibilidades e desafios da intervenção da Fisioterapia na atenção primária à saúde.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.