A arte das paixões: Nietzsche, leitor de Prosper Mérimée

Ernani Chaves

Resumo


Costuma-se relacionar o interesse e a admiração de Nietzsche pela ópera “Carmem”, exclusivamente ao compositor George Bizet. Neste artigo, procuro mostrar a importância de Prosper Mérimée, o autor do livro que deu origem à ópera, para a reflexão de Nietzsche sobre as paixões, em especial sobre o amor. A leitura de Mérimée pode também ser bastante instrutiva para entendermos alguns dos motivos que levaram Nietzsche a se separar de Wagner, como, por exemplo, o tratamento dado ao tema das paixões, em conexão com Stendhal. Mesmo sem ter lido “Carmem” – ele apenas assistiu à ópera e conhecia muito bem a partitura – Nietzsche pode certamente reencontrar na obra de Bizet os ecos de sua admiração pelo escritor Mérimée.


Palavras-chave


Paixão; Amor; Compaixão; Política

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/estudosnietzsche.04.001.AO.03

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.