Reagir e não reagir: filosofia e psicologia no Crepúsculo dos ídolos

Marco Brusotti

Resumo


O artigo analisa como o conceito de atividade se apresenta nas obras de Nietzsche e como as noções de agir e reagir se apresentam no Crepúsculo dos ídolos, articulando filosofia e psicologia. Trata-se de analisar por que Nietzsche não fala mais de ‘atividade’ e por que não usa mais a contraposição ‘ativo-reativo’ depois da Genealogia da moral.

Palavras-chave


Ativo; Reativo; Fisiologia; Psicologia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/ren.v1i2.22580

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.